PCP: Solidariedade activa com os trabalhadores da SPDH/Grounforce

spdhnovfao.jpgPerante a tentativa do Governo de realizar um despedimento colectivo na SPDH/Groundforce, a Célula do PCP na empresa está a distribuir aos trabalhadores um comunicado onde sublinha a importância da luta e da unidade dos trabalhadores para enfrentar e derrotar esta tentativa de liquidar 336 postos de trabalho. Na Assembleia da República, o PCP questionou a Ministra do Trabalho sobre a forma bandidesca como este processo está a ser tratado pelo Governo e sua Administrações, num total desrespeito pelos trabalhadores e pela lei, e questionou o Ministro dos Transportes sobre as opções políticas para o sector que estão a traduzir-se na sua progressiva destruição. O PCP exige ainda a imediata encerramento do processo de despedimento colectivo na empresa.

Ler Comunicado do Partido em PDF

Ler Requerimento à Ministra do Trabalho

Ler Requerimento ao Ministro dos Transportes

PCP denuncia situação de precariedade da SPDH na Assembleia da República

Na sequência da reunião do Grupo Parlamentar com a Comissão de Trabalhadores da SPDH, integrada na Campanha Nacional do Partido "LUTAR contra as injustiças e EXIGIR uma vida melhor" foram apresentados na Assembleia da República dois requerimentos, um sobre o atraso nas respostas da ACT às queixas colocadas pelos trabalhadores e outro sobre as condições de precariedade existentes na empresa.

Ler requerimentos sobre ACTem pdf

Ler reqquerimento sobre precariedade em pdf

 

PCP reune com CT da SPDH no quadro da campanha nacional contra a precariedade

mini-panospdh.jpgNo quadro da campanha nacional do PCP sobre a precariedade laboral, uma delegação do PCP integrada pelo deputado na Assembleia da República Bruno Dias, reuniu com a CT da SPDH nas instalações do Aeroporto de Lisboa. Perante a escandalosa situação reportada e documentada, de uma empresa tutelada pelo Ministério dos Transportes que assume como política o despedimento de trabalhadores e a sua substituição por trabalhadores sub-contratados, o PCP assumiu o compromisso de recolocar a questão na Assembleia da República. Paralelamente, foram colocadas no Aeroporto as faixas do PCP denunciando estarmos perante um local de trabalho com precariedade (foto) e iniciou-se a distribuição aos trabalhadores de um comunicado da célula da TAP/SPDH .

PCP apela à luta contra a precariedade na SPDH

spdhprec.jpg

Integrado na campanha nacional do PCP contra a precariedade, a célula da TAP/SPDH está a distribuir um comunicado aos trabalhadores da empresa, onde a par da denúncia da precarização das relações laborais nesta empresa tutelada pelo governo (que atinge já os 600 trabalhadores) se apela à unidade e luta contra a exploração!

Ler Comunicado aos Trabalhadores da SPDH

PCP interpela Governo sobre cobertura política à repressão à CT da SPDH no Aeroporto

O PCP avançou na Assembleia da República com um requerimento dirigido ao Ministro dos Transportes, que tutela a SPDH, sobre o inaceitável e anti-democrático comportamento da Administração da SPDH, que em violação da lei e dos acordos assumidos - e por razões políticas - diminuiu os direitos dos trabalhadores da Empresa e da sua CT. O PCP expressa assim também a sua activa solidariedade com a CT da SPDH na sua justa luta em defesa dos direitos dos trabalhadores da Empresa. (Na foto, acção dos trabalhadores da SPDH na greve de Agosto, apoiada pela CT).
 

PCP apela à luta contra a nova tentativa de privatizar a SPDH

spdh_ac.jpg

Perante a decisão da Autoridade da Concorrência de mandar privatizar a SPDH, a célula do PCP na TAP/SPDH editou este comunicado aos trabalhadores, onde começa por sublinhar a falta de independência desta dis Autoridade, subordinada ao Governo e aos interesses do capital, para depois recordar que foi a privatização inicial da SPDH que lançou o sector no caos, prejudicando a TAP e a SPDH. O comunicado termina com um apelo à luta dos trabalhadores contra esta nova ofensiva privatizadora, que a não ser derrotada significará a sua destruição. 

Ler Comunicado em PDF

PCP sobre a greve na TAP/SPdH

As Células do PCP no Aeroporto de Lisboa fizeram sair um novo comunicado, onde perante a greve decretada pelos Sindicatos de Terra, apelam a todos os trabalhadores a uma forte adesão, e a resistirem à intensa pressão que Governo, Administração e Comunicação Social ao seu serviço tem feito.Só a luta defenderá os direitos dos trabalhadores e as próprias empresas.

Ler Comunicado em PDF

Contra a chantagem do Governo, PCP apela à luta na SPDH

jul2009_handling.jpgO Governo e as suas administrações estão a promover uma operação de chantagem sobre os trabalhadores do handling, particularmente os da SPDH, que se apresenta sobre múltiplas formas, mas se pode resumir à frase “A bolsa ou o Emprego!”, dizendo que para salvar os postos de trabalho é preciso aceitar sacrifícios, aceitar trabalhar mais por menos salário. As Células do PCP no Aeroporto de Lisboa apelam aos trabalhadores a resistirem não cedendo a esta chantagem.

Ler comunicado em PDF

SPDH - Unidade na Luta em Defesa do AE e do Aumento Salarial

spdh.jpg

O PCP apela a todos os trabalhadores da SPDH para resistirem a todas as tentativas de redução dos seus salários e direitos, e para construirem os caminhos de Unidade na Luta que lhes permitem defender a Empresa, os postos de trabalho, a economia nacional e os seus direitos!

Ler Comunicado

PCP solidário com os trabalhadores da SPdH contra a exploração!

O Deputado do PCP Bruno Dias reuniu na passada sexta-feira com a Comissão de Trabalhadores da SPdH e com o SITAVA, para aprofundar o conhecimento sobre a situação na Empresa, perante as preocupantes notícias de despedimentos e crescente precarização das relações laborais na Empresa. A Célula do PCP editou hoje um Comunicado aos Trabalhadores onde aponta o caminho da luta como única alternativa para defender os direitos de quem trabalha e da própria empresa.

Ler Comunicado em PDF

Jerónimo de Sousa visita TAP e SPdH em solidariedade com os trabalhadores

O Secretário-Geral do PCP, Jerónimo de Sousa, participou hoje numa reunião com as Comissões de Trabalhores e Sindicatos representativos dos trabalhadores da TAP e da SPdH. Na ocasião, o PCP reafirmou a sua posição de que a ofensiva contra os direitos dos trabalhadores destas empresas está intimamente ligada às alterações que o Governo quer impor no Código de Trabalho e ao projecto de privatizar estas empresas "limpa" de direitos laborais. O PCP sublinhou que só uma TAP pública pode continuar a contribuir para a dinamização da economia nacional como o tem feito, e a confiança de que os trabalhadores serão capazes de responder unidos a esta ofensiva do Governo e do Patronato, e assim defender os seus direitos e as suas Empresas.

Comunistas na SPdH contra propostas da Administração de rever o AE

A Célula do PCp na TAP/SPdH tomou posição sobre as inaceitáveis propostas apresentadas pela Administração da SPdH/Groundforce de revisão do Acordo de Empresa, que acarretariam sérios prejuízos para os trabalhadores, e apelou a estes para se manterem unidos e mobilizados.

Ler Comunicado em PDF 

Comunicado da Célula da SPdH - Groundfource

BASTA DE INJUSTIÇAS

A LUTA CONTINUA

Os trabalhadores da SPdH-Groundforce têm vindo a travar uma luta prolongada pela actualização salarial e contra a inércia da Administração da empresa. Desta não vieram propostas, apenas a recusa em negociar.

Porém, foi conhecida ontem uma proposta do mediador do Ministério do Trabalho aos Sindicatos e à SPdH que consiste na aplicação de 3% na tabela salarial a todos ostrabalhadores com efeitos a partir de Agosto.

Do que estava à espera a Administração?  Se calhar, que os seus métodos ilegais de substituir os trabalhadores em greve e as pressões ou mesmo o cansaço desmobilizassem os trabalhadores.  Mas a luta prosseguiu.

Quer os administradores, quer os directores há muito que têm os seus salários actualizados generosamente.  Não se preocupam com as condições de vida dos trabalhadores. Preocupados estão unicamente com o aumento da exploração dos trabalhadores e com os lucros e os prémios correspondentes.

Como se chegou a isto?  Tudo principia quando o handling foi retirado à TAP por um governo do PS.  Este partido dito socialista agora está novamente no poder. O governo tem adoptado uma política anti-laboral e anti-social, com responsabilidades na deterioração dos salários dos trabalhadores, na redução das reformas, no acesso mais difícil ao subsídio de desemprego, com um código de custas judiciais que impede aos trabalhadores o acesso aos tribunais de trabalho, com encerramento a esmo de escolas, centros de saúde e maternidades.  Em consonância com essa política, nada faz para resolver o conflito laboral na SPdH, na qual o Estado é detentor de 49,9% do capital.

A luta continuou porque as reivindicações dos trabalhadores são justas.  Resistindo contra a injustiça e as ilegalidades, repudiando a discriminação salarial, exigindo a revisão salarial a que têm direito, os trabalhadores vêm confirmada a justeza da sua luta.

Parece, pois, existirem condições para se fazer justiça às reivindicações dos trabalhadores e para o prosseguimento das negociações nas restantes matérias que levaram à convocação da greve (desbloqueamento das evoluções, horários desumanos, precariedade, etc.).

Os comunistas da SPdH saúdam os trabalhadores que com a sua luta contribuíram para o desbloqueamento da situação e apelam à unidade para o necessário prosseguimento da luta.

Greve Suspensa na SPdH: VALE A PENA LUTAR!

Os Sindicatos suspenderam a Greve que decorria na SPdH desde o passado dia 1 de Dezembro, na sequência da proposta apresentada na Mediação de um aumento de 3% para todos os trabalhadores. Só a luta e unidade dos trabalhadores permitiu este resultado, numa luta que continua.

PCP na AR questiona Governo sobre a Violação do direito à greve na Groundforce/SPdH

O PCP na Assembleia da República, através do seu deputado Bruno Dias,  entregou um requerimento ao Governo onde o questiona sobre as Violações do direito à greve na Groundforce/SPdH que pode constatar na visita a esta Empresa que se encontra presentemente em luta.