Trabalhadores da CarrisTur continuam em luta

fotolutaCarrisTur12O PCP está solidário com os trabalhadores da CarrisTur que continuam em luta pelos seus direitos. No plenário realizado hoje na Praça do Município esteve presente uma delegação do PCP com João Ferreira, vereador na Câmara Municipal de Lisboa, que contactou com os trabalhadores. A luta persistente destes trabalhadores já levou ao recuo da empresa em algumas questões. No entanto, mantêm-se outras por resolver, respeitantes ao incumprimento do AE em vigor, relacionadas com o horário de trabalho, questões pecuniárias e definição de funções, assim como com melhores condições de trabalho. Assim, os trabalhadores decidiram continuar a luta, nomeadamente com a colocação de um pré-aviso de greve de 24 horas para o dia 2 de Novembro e um pré-aviso de greve a todo o trabalho extraordinário.

Ferroviários em luta por melhores salários!

luta ferroviários8Hoje os trabalhadores da CP e da IP estão em luta, exigindo aumentos salariais, a contratação de mais trabalhadores e melhores condições de trabalho. Uma delegação do PCP com o deputado Bruno Dias esteve presente no arranque da greve de 24 horas, em contacto com as organizaçãoes sindicais, prestando a sua solidariedade. O PCP já confrontou a Governo com a falta de resposta aos trabalhadores e ainda sobre a falta de respeito da CP pelos utentes, pela falta de informação e outras acções provocatórias.

Ler aqui a pergunta

Trabalhadores das rodoviárias privadas em luta por aumentos salariais

rodoviária de passageirosHoje decorreu novamente greve de 24 horas dos trabalhadores das rodoviárias privadas de transporte de passageiros. Uma luta por aumentos salariais - muitos destes trabalhadores auferem apenas cerca de 700 euros de salário -, pela actualização do subsídio de refeição e por melhores horários. Uma delegação do PCP, em que participou o deputado Bruno Dias, esteve presente no piquete de greve na estação da Rodoviária de Lisboa, em Santa Iria, onde contactou com os trabalhadores e prestou a solidariedade do PCP para com a sua luta.

CDU com os trabalhadores da CarrisTur em luta

greve Carristur3Os trabalhadores da CarrisTur estão hoje em greve pelo cumprimento do Acordo de Empresa em diversas matérias, pela melhoria das suas condições de trabalho e pela readmissão dos trabalhadores a quem não renovaram os contratos, com o término da contratação de empresas de trabalho temporário. Esteve presente, prestando solidariedade, uma delegação da CDU que incluiu Paulo Alves, vereador da CDU na Câmara Municipal de Lisboa, que contactou os trabalhadores e reiterou o compromisso da CDU em continuar a intervir em sua defesa.

Solidariedade com a luta dos trabalhadores do sector privado rodoviário de passageiros

piquete rodoviária de LisboaOs trabalhadores do sector privado rodoviário de passageiros estão hoje em greve, a nível nacional, em luta por aumentos salariais, actualização do subsídio de refeição e horários dignos. Voltarão à greve no dia 1 de Outubro. Na Estação da Rodoviária de Lisboa em Santa Iria de Azóia esteve presente uma delegação do PCP e da CDU, que incluía o deputado Duarte Alves e o primeiro candidato da CDU à freguesia, Bruno Lourenço. O PCP e a CDU reafirmam a solidariedade com os trabalhadores em luta e o compromisso de sempre, de defesa intransigente dos direitos de quem trabalha.

 

PCP saúda ferroviários em luta!

luta ferroviários16Stb21As organizações representativas de trabalhadores da CP e da IP dinamizaram hoje concentrações à porta da administração da CP e junto à residência oficial do Primeiro-Ministro, onde foi transmitida a exigência dos trabalhadores de aumentos salariais, da contratação de mais trabalhadores, da valorização das profissões e harmonização das condições de trabalho e da negociação da contratação colectiva. Foi ainda anunciada uma greve de 24 horas para o dia 8 de Outubro. Em solidariedade com esta luta, esteve presente na acção uma delegação do PCP com o deputado Duarte Alves, que contactou com os trabalhadores em luta.

Ataque aos trabalhadores da White Airways

foto avioOs trabalhadores da White Airlines em Portugal, que já tinham situações de atropelo aos direitos nesta empresa, desde o início da pandemia que viram agravados os seus problemas:  pagamento dos salários com atraso, que se tornou recorrente ao longo deste quase ano e meio, a que se juntou o não pagamento das ajudas de custo, do estacionamento e o congelamento na progressão das carreiras. Importa lembrar que a maioria do serviço da companhia é feita à TAP, sobre a qual o Governo e a administração têm protagonizado, a pretexto das imposições de Bruxelas, os mais gravosos ataques, pondo em causa a sua dimensão estratégica e os postos de trabalho e direitos dos trabalhadores. O PCP confrontou o Governo com esta situação. Ler aqui a pergunta

ANA e Portway tentam reduzir trabalhadores!

aeroporto-de-lisboa-820x430O PCP recentemente questionou o Governo sobre as empresas Portway e ANA terem solicitado a sua consideração de «empresa em reestruturação». Com isto, pretendem aproveitar a presente conjuntura para despedir umas centenas de trabalhadores (472), e contam atraí-los a uma «rescisão por mútuo acordo» através da ameaça que começa a ser recorrente de «ou aceitas a rescisão por mútuo acordo ou vais para o despedimento colectivo". Se conseguirem o peticionado ao Governo, será a Segurança Social (através de subsídios de desemprego) quem arcará com uma parte substancial das despesas em vez da multinacional Vinci. Estamos a falar de uma empresa que registou lucros superiores a mil milhões de euros nos últimos oito anos. Ler aqui a pergunta

Despedimento colectivo na TAP é inaceitável!

TAP despedimentosdoc final 21Está em distribuição um documento da célula do PCP na TAP sobre o despedimento colectivo recentemente formalizado. Para o PCP, a tentativa de despedimento na TAP de mais 124 trabalhadores é inaceitável. A TAP, ao longo de todo o chamado “processo de reestruturação“, perdeu capacidade de resposta operacional e os milhares de trabalhadores que foram despedidos colocam a TAP, enquanto empresa estratégica, em maiores dificuldades para responder a toda a operação. Para o PCP, o futuro da companhia depende da intervenção do Estado e de um plano de contingência, e não de um plano de reestruturação imposto por Bruxelas, que permita viabilizar o futuro da companhia aérea de bandeira do país, os direitos dos trabalhadores e os seus postos de trabalho. O Governo do PS teima em não ir ao encontro das necessidades identificadas para a viabilização da empresa. Os comunistas da célula do PCP na TAP apelam à resistência e rejeição por parte dos trabalhadores a mais esta afronta aos seus direitos e postos de trabalho. Ler aqui o comunicado completo.

PCP saúda a luta dos trabalhadores da CP e do Grupo IP

foto ferroviarios1O PCP saúda e manifesta a sua solidariedade com a luta dos trabalhadores da CP e do Grupo IP, que se materializou nesta quinta-feira numa concentração junto à residência oficial do Primeiro Ministro, onde foi entregue um documento reivindicativo. Uma luta justa que continua pelo aumento dos salários, pela valorização das profissões, pela redução do horário de trabalho, pelo cumprimento da contratação colectiva, pela unificação do sector ferroviário.