Solidariedade com a luta dos trabalhadores ferroviários

foto piquete santa apoloniaO PCP esteve hoje presente no piquete de greve dos trabalhadores do sector ferroviário na estação de Santa Apolónia com a deputada Alma Rivera, solidarizando-se com as suas justas reivindicações, nomeadamente de aumentos salariais e melhoria das suas condições de trabalho

Solidariedade com a luta dos trabalhadores da CP

piqueteCPEstá a decorrer uma greve de 24 horas dos trabalhadores da CP que está a ter uma adesão massiva. Os trabalhadores lutam por aumentos salariais dignos, perante uma proposta de aumento da empresa e do Governo que é de 0.9%! Não há verdadeira aposta na ferrovia sem a valorização dos trabalhadores! A integração dos trabalhadores da ex-EMEF sem perda de direitos e um Regulamento de Carreiras digno está também entre as reivindicações dos trabalhadores. O PCP esteve presente no piquete em Santa Apolónia, com a deputada Paula Santos, prestando solidariedade aos trabalhadores em luta.

Continua a persistente luta no Metro

fotoMetro22No dia 22 de Abril realizou-se uma nova greve parcial dos trabalhadores da área da direcção de operação do Metropolitano de Lisboa. Uma delegação do PCP que incluía a deputada Paula Santos, esteve presente no piquete de greve na Sidónio Pais a expressar solidariedade com a justa luta dos trabalhadores. A luta destes trabalhadores continua pela reposição do quadro de efectivos desta área, contra ataques aos horários e às férias e contra a perseguição de que são alvo.

Trabalhadores do Metro em luta!

grevemetroHoje realizou-se a terceira greve parcial dos trabalhadores da área da direcção de operação do Metropolitano de Lisboa, com uma adesão que continua a ser massiva. Estes trabalhadores lutam, entre outras questões, pela reposição do quadro de efectivos desta área, contra ataques aos horários e às férias e contra a perseguição de que são alvo. Caso a empresa continue a não apresentar soluções, a próxima greve parcial está marcada para dia 22 de Abril. O PCP está solidário com a luta destes trabalhadores por melhores condições de trabalho.

Lutar para garantir o futuro da TAP e o futuro dos trabalhadores!

Documentotap-taptapEstá em distribuição um comunicado da célula do PCP na TAP onde se alerta para os perigos que continuam "em cima da mesa" para a empresa e os trabalhadores. Depois de um plano de reestruturação que conduziu a despedimentos, cortes salariais, cortes na frota e na assistência em escala, o Ministro das Infraestruturas veio afirmar que admite conversações com interessados em entrar no capital da companhia, não descartando que um privado pudesse passar a ser accionista maioritário. Ainda vai mais longe dizendo que o futuro da TAP passa pela integração num grupo de aviação. Ao mesmo tempo que a União Europeia aconselha a TAP a ir mais longe, com novas medidas de redução da capacidade operacional e alienação de estruturas de apoio e em que a empresa já afirma que terão que  haver cortes nos custos no que diz respeito à contratação colectiva. O Grupo Parlamentar do PCP questionou o Governo na Assembleia da República sobre estas matérias. 

Ver comunicado completo

Ver pergunta

Trabalhadores da ANA protestam contra ataque sem precedentes


concentração ANA1Os trabalhadores da ANA estão em luta e realizaram nos aeroportos nacionais concentrações no dia 1 de Abril em protesto perante a ofensiva brutal da empresa. Está em causa a denúncia por parte da empresa da contratação colectiva, uma proposta irrisória de aumento salarial, assim como a exigência da reposição das contribuições para o fundo de pensões. Estamos a falar de uma empresa estratégica vendida à multinacional francesa Vinci, que nos últimos anos teve lucros de muitos milhões. O deputado Bruno Dias esteve numa delegação do PCP presente na concentração realizada no Aeroporto de Lisboa, demonstrando a sua solidariedade.

Solidariedade com a luta dos trabalhadores da Carris

fotoplenárioCarrisOs trabalhadores da Carris têm estado em luta pelo aumento salarial e pela melhoria das suas condições de trabalho. Dois plenários gerais realizados recentemente com várias centenas de trabalhadores demonstraram o descontentamento perante o que era colocado pela empresa, que iniciou o processo com a proposta de aumento de 10 euros, obrigando-a a avançar naquilo que propunha. O aumento do custo de vida ainda torna mais necessário o aumento justo dos salários de quem trabalha! O PCP está solidário com a luta dos trabalhadores da Carris.

PCP solidário com a luta dos trabalhadores da Rodoviária de Lisboa!

foto AlmaOs trabalhadores da Rodoviária de Lisboa realizaram hoje mais uma greve por aumentos salariais. Actualmente, o ordenado médio de um trabalhador da RL é de cerca de 700 euros (brutos), enquanto o ordenado mínimo nacional é de 705 euros. Entre as reivindicações dos trabalhadores encontram-se ainda a actualização do subsídio de refeição, a redução do intervalo de descanso para o máximo de duas horas e a valorização da carreira da manutenção. O PCP esteve presente e solidário com uma delegação onde esteve deputada Alma Rivera.

 
 

O futuro da TAP e do País não se garantem com a submissão à UE e cedência às multinacionais

TAPfotoEstá em distribuição um documento aos trabalhadores do Grupo TAP que elerta parea os últimos desenvolvimentos. O plano recentemente aprovado pela União Europeia conduziu num passado muito recente a despedimentos, cortes salariais, cortes na frota e na assistência em escala. E segundo os ditames da União Europeia, os apoios às consequências da pandemia dependerão de novas medidas de redução da capacidade operacional, da alienação de estruturas de apoio indispensáveis à actividade da empresa e da cedência de áreas de negócio às multinacionais. É o caso da entrega aos concorrentes da TAP de mais posições no Aeroporto de Lisboa (18 faixas horárias por dia) e da imposição de alienação da participação da TAP na SPDH/Groundforce e na Cateringpor. Repudiamos a subserviência do Governo às imposições de Bruxelas e chamamos a atenção para a vontade que poderá haver de uma nova tentativa de privatização da companhia. É o País e não a UE que deve decidir sobre a viabilidade da TAP enquanto empresa estratégica. Portugal necessita duma TAP cuja dimensão permita dar resposta à coesão territorial, à ligação às Regiões Autónomas e às comunidades portuguesas no mundo, à dinamização da economia nacional, à diversificação de relações comerciais mutuamente vantajosas com outros países. Ler aqui documento completo