A CDU defende a atempada resolução da requalificação dos bairros de génese ilegal

 
AUGI CharnecaNo âmbito de cerca de uma centena de reuniões já realizadas com associações, especialistas e população, o candidato da CDU à presidência da Câmara Municipal de Lisboa (CML), João Ferreira, reuniu-se com a Associação dos Moradores da Área das Galinheiras (AMAG).
 
Durante a conversa, foram abordadas questões sobre o atraso nos processos de legalização dos bairros de génese ilegal por parte da CML e a falta de critérios justos e transparentes em relação à comparticipação dos moradores nos trabalhos de
requalificação urbana. Os moradores sublinham que têm acartado até agora com todas as principais despesas e que deve haver empenhamento da Câmara de Lisboa na regularização da situação.
 
A AMAG também defende que deve existir uma maior harmonia social no bairro, com uma percentagem equilibrada de habitação a custos controlados e de realojamentos. E ainda que é preciso que a CML seja mais expedita nos processos de recuperação a atribuições de habitações. Existem inúmeras situações nas quais o tempo em que as casas estão vazias se prolonga em demasia.
 
Foram também abordados o crescimento das dificuldades sociais nos tempos de pandemia, a necessidade de requalificação e preservação do espaço público e a aposta no trabalho comunitário em relação à segurança nos bairros.
 
O candidato da CDU recordou que ao longo do seu mandato os eleitos da CDU reuniram-se várias vezes com o movimento associativo da freguesia de Santa Clara, e sublinhou a importância de se conseguir resolver os problemas existentes, escutando as populações e o movimento associativo.
 
João Ferreira lembrou igualmente que ao longo do seu mandato, os vereadores do PCP tinham sempre defendido e proposto a necessidade de se resolverem atempadamente as questões com os bairros de génese ilegal.