Boletim - Célula do PCP na Câmara e SMAS de VFX

A Célula dos trabalhadores do PCP na CM/SMAS, editou um boletim onde apela á luta dos trabalhadores contra a ofensiva que o governo PS está a fazer.

 

Lucros escandalosos
Os lucros do sector financeiro e das grandes empresas aumentam escandalosamente.
Apenas 5 Bancos e 4 empresas (PT, Sonae, Galp e EDP), acumularam em 2006, 5.3 mil milhões de euros. Isto significa lucros de 10.000 euros (2.000 mil contos) por minuto. Os mesmos bancos já anunciaram que no 1º trimestre de 2007 os resultados continuam a subir.
Quem produz a riqueza de que eles se apropriam são os trabalhadores. E é o mesmo Governo e Câmara PS que pedem aos trabalhadores e população para apertar o cinto e fazer sacrifícios.

Roubo nos direitos
O governo compromete o direito fundamental à revisão anual dos salários - os aumentos ficam condicionados às avaliações de desempenho e às “disponibilidades orçamentais”; O governo destroi o sistema de carreiras, posiciona os trabalhadores num escalão inferior ao que detêm para condenar à estagnação na carreira e no salário; Se todos os anos o custo de vida aumenta, os salários têm também de aumentar todos os anos! Com o orçamento aprovado para o ano de 2007, os trabalhadores do município, não terão Concursos de promoção. Juntamente com o congelamento da Progressão dos escalões, as carreiras dos trabalhadores do município ficam ainda mais desvalorizadas e o seu futuro cada vez mais sombrio. O trabalho extraordinário é pago pela tabela salarial de 2005. Qualquer alteração constitui uma deturpação e violação da lei.

Precariedade
o PS na Câmara que adjudica quase todo o tipo de trabalhos a empresas exteriores, orçamentado para 2007 o aumento de 118% para trabalhos especializados, mantendo na prateleira os conhecimentos e a disponibilidade dos trabalhadores municipais, privilegiando É a entrega de serviços públicos a interesses privados.

Retrocesso social
O Governo anda empenhado em destruir o serviço público causando graves prejuízos para os trabalhadores e populações: Encerramento de escolas, fecho de maternidades, centro de saúde e urgências hospitalares, aumento dos medicamentos e taxas moderadoras (com criação de novas), ataque á segurança social, entrega de serviços públicos a privados.
Querem destruir as conquistas feitas pelos trabalhadores na revolução de Abril.

Toda esta ofensiva está a atingir as conquistas de gerações e gerações de trabalhadores.
E porque não nos esquecemos, vamos fazer uma grande Greve Geral!