Trabalhadores do Metro recusam fazer greve com os serviços mínimos impostos, e denunciam a ilegalidade e irresponsabilidade

mini-MetrorecusasminimosOs trabalhadores do Metro foram chamados a enfrentar uma decisão ilegal e irresponsável do Tribunal Arbitral do CES, que impôs a realização de serviços mínimos que implicavam a mobilização de quase 100% dos trabalhadores operacionais da empresa (podia fazer greve quem estava de folga e os administrativos) e ignorava a irresponsabilidade que representa uma oferta reduzida a 25%, criando situações de insegurança inaceitáveis com átrios sobrelotados e alta tensão no carril). Respondendo ao apelo das suas organizações sindicais, os trabalhadores decidiram que assim não fariam greve e apresentaram-se ao trabalho, tendo no entretanto anunciado novas jornadas de luta. Tentando intoxicar a opinião pública, os pantomineiros da Administração mantiveram todo o dia a informação de que se estava a realizar uma greve, com a desculpa que os Sindicatos não haviam retirado formalmente o pré-aviso de greve. O PCP saúda o sentido de responsabilidade dos trabalhadores do Metro e lamenta a irresponsabilidade da Administração e do Governo. A luta continua!

Contra o roubo dos complementos, reformados do Metro prosseguem a luta!

20141111refmetroOs reformados do Metropolitano de Lisboa realizaram hoje um plenário na Baixa-Chiado, seguida de uma deslocação à Secretaria de Estado dos Transportes (foto). Reivindicam o fim do roubo do complemento de reforma que o Orçamento de Estado para 2015 volta a introduzir. O PCP, activamente solidário com a luta contra o roubo dos complementos de reforma já apresentou na Assembleia da República uma proposta no sentido de retirada desse roubo do Orçamento de Estado. 

Trabalhadores do Metro prosseguem luta com greve a 13 de Novembro

plenmetro29outOs trabalhadores do Metro, hoje reunidos num imponente plenário realizado no PMO3 (foto), decidiram prosseguir a sua luta em defesa da contratação colectiva, contra os roubos nos salários, e contra o processo de privatização em curso. Recusaram ainda as tentativas de desestabilização da empresa que o Governo e o seu Conselho de Administração tem levado a cabo. Decidiram assim marcar uma greve de 24 horas para o próximo dia 13 de Novembro.

Mentir parece uma patogenia contagiosa nas trupes Governamentais

metrodesinPerante a greve dos trabalhadores do Metro a administração da empresa adoptou um comportamento inédito mas em linha com a postura a que este Governo - e seus boys - já habituaram o nosso povo: começou a mentir aos utentes, estando até às 22h00 divulgando que a greve só se iniciaria às 6h30, quando sabia perfeitamente que às 23h15 teria de encerrar o Metro, como aconteceu. Este comportamento, que provocou transtornos em muitos utentes, é de uma enorme gravidade, e foi justamente questionado pelo PCP na Assembleia da República.

Ler Requerimento em PDF

Metro: Prossegue a justa luta dos trabalhadores do Metro em defesa da Empresa, dos Utentes e dos Direitos

Os trabalhadores do Metro constroem hoje uma grande jornada de luta, uma greve de 24 horas que está a paralizar a circulação desde as 23h30 de ontem. Uma luta justa - contra os roubos a trabalhadores e utentes para entregar milhões aos banqueiros, aos especuladores e às multinacionais que querem explorar o sistema. O deputado do PCP David Costa expressou junto do piquete de greve a activa solidariedade do PCP com a luta dos trabalhadores do Metro e o repúdio pelo comportamento da Administração que apenas às 22h45 deu informação aos utentes que o Metro encerraria às 23h30 criando transtornos propositados. Foi dado ainda conhecimento aos trabalhadores do requerimento metido por ocasião da anterior greve e a que o governo também não respondeu.

Ler Requerimento em PDF

Reformados do Metro continuam a luta contra o roubo dos complementos

mini-20140930 092006Os reformados do Metro de Lisboa continuam hoje a sua luta contra o roubo do complemento de reforma, com uma vígilia na Estação do Marquês de Pombal que se iniciou às 6h30 da manhã e terminará apenas às 01h00. Arménio Carlos da CGTP-In expressou a activa solidariedade da CGTP-In dirigindo aos presentes às 9h00 (foto), estando ao longo do dia previstas a participação solidária de outras organizações. O PCP reafirmará o seu compromisso de lutar pela não inclusão deste roubo já no Orçamento para 2015 pela voz do deputado Bruno Dias, que estará junto dos manifestantes por volta das 12h00.

Trabalhadores do Metro lutam em defesa do serviço público e do trabalho com direitos

mini-20140925 usarOs trabalhadores do Metro realizam hoje uma importante jornada de luta em defesa do serviço público de transportes e do trabalho com direitos. A greve de 24 horas, que está a paralisar completamente a circulação do Metropolitano, serve como forma de luta para contestar as sucessivas arbitrariedades que a Administração e o Governo têm imposto no Metro (violações sucessivas do AE, castigos arbitrários, perseguições à estrutura, roubo de salários) e para exigir o cancelamento das novas PPP's nos transportes públicos, autênticas negociatas realizadas à custa dos trabalhadores, dos utentes e do Orçamento de Estado. O deputado do PCP na AR, Bruno Dias, esteve com o piquete de greve na Sidónio Pais durante a madrugada, ocasião onde expressou a total e activa solidariedade do PCP com a luta dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa.

Trabalhadores do Metro em luta contra a privatização e em defesa de serviços públicos de qualidade

mini-20140910 090118A Célula do PCP no Metro de Lisboa saúda a determinação e unidade dos trabalhadores da empresa, mais uma vez patente na greve hoje realizada e que paralizou a circulação até às 11h00. O PCP expressa ainda a sua activa solidariedade com a luta em defesa dos direitos dos trabalhadores - face a um novo roubo de salários e ao incumprimento da contratação colectiva na empresa - bem como com a luta em defesa de serviços públicos de qualidade, contra uma privatização que, como em todas as PPP's, seria um criminoso processo de transferência de recursos públicos para o capital à custa dos utentes, dos trabalhadores e das populações. O PCP saúda a marcação de uma nova jornada de luta para dia 25 e apela à intensificação do esclarecimento, da mobilização e da luta contra o pacote de privatizações que o Governo pretende impor apressadamente antes de ser corrido pelo povo.

Reformados do Metro continuam na luta contra o roubo dos complementos!

refmetrojulRealizou-se hoje um novo plenário de Reformados do Metropolitano de Lisboa, nas instalações do Cais Sodré, que discutiu das medidas que estão a ser tomadas para combater o roubo dos complementos de reforma e decidiu de novas formas de luta. O PCP já assumiu publicamente o compromisso de lutar pela revogação deste roubo quer no Orçamento de Estado para 2015, quer num eventual Orçamento Rectificativo ainda em 2014.

Luta dos Reformados do Metro com nova concentração frente à Sede da Empresa

ref metro tardeDepois de terem recebido garantias de quatro grupos parlamentares de que iriam levar a luta contra o roubo dos complementos ao debate do Orçamento Rectificativo, os reformados do Metro voltaram a concentrar-se à tarde frente à Sede da Empresa na Barbosa do Bocage, exigindo a imediata integração no activo para todos os que o desejem, face à alteração das condições acordadas para a sua reforma.

Bruno Dias com os reformados do Metro e da Carris: A luta continua, governo para a rua!!

metroref20140604aOs reformados do Metro e da Carris estiveram hoje novamente em luta contra o roubo dos complementos de reforma. Presente na iniciativa, o deputado do PCP Bruno Dias reafirmou que vai continuar a luta contra o injusto, imoral e anticonstitucional artº 75º do Orçamento de Estado deste ano, e que essa luta só pode terminar com a reposição plena do direito aos complementos de reforma. A Assembleia da República e o Governo têm poderes para revogar esta norma, e o PCP comprometeu-se a travar já esse combate na discussão do Orçamento Rectificativo. Os reformados desfilaram depois do Rato para a Assembleia da República.

Dois grandes Plenários - Trabalhadores e Reformados do Metro - reafirmam que a luta continua!

r a
Realizaram-se hoje dois importantes plenários no Metropolitano. O dos Reformados junto à sede da Empresa  na Fontes Pereira de Melo e o dos Trabalhadores junto das instalações da empresa na Sidónio Pais. Em ambas as jornadas de luta os trabalhadores reafirmaram a sua determinação em travar a política em curso de roubos aos trabalhadores e reformados.

Apelo ao voto na CDU reune dezenas de membros das ORT's do Metropolitano de Lisboa

eleiccoes metroMais de 40 membros das ORT's do Metropolitano de Lisboa recordam que foi a CDU que sempre esteve sempre ao lado dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa na dura luta que têm travado em defesa da contratação colectiva, dos seus salários, dos seus direitos e dos reformados, e em defesa do serviço público de transporte. E que recordam que no dia 25 de Maio é preciso dar força à luta, dando força à CDU, votando CDU!

Ler Comunicado em PDF

Campanha da CDU contactou trabalhadores e suas ORT's no Metro

metropmo3horaalmocoA candidata da CDU Inês Zuber e o deputado do PCP na A.R., Bruno Dias, participaram hoje numa acção de campanha no PMO III (Metro, Pontinha). Reuniram um vasto leque de informações na reunião tida com as ORT's, e puderam constatar directamente uma das muitas consequências desastrosas das medidas anti-laborais que se abatem sobre a Empresa: a foto anexa é do refeitório do PMO III hoje às 12h30 - onde antes comiam largas dezenas de trabalhadores, com os aumentos das senhas de refeição em mais de 150% impostos pelo OE 2014, ficaram vazios, não sendo dificil prever próximos encerramentos, com mais despedimentos e destruição do investimento antes realizado.

Reformados do Metro em luta contra os roubos nas Reformas e Pensões

plen metro 29abril14Os reformados do Metro de Lisboa realizaram hoje (foto) uma nova concentração, desta vez junto da Caixa de Pensões em Entrecampos. Lutam contra o roubo nas reformas e nos complementos, e hoje denunciavam um outro roubo: estão a pagar impostos como se recebessem o que não lhes pagam! O PCP já colocou na Assembleia da República mais esta situação escandalosa, e reafirma a sua activa solidariedade com a luta dos reformados do Metropolitano de Lisboa.