Aceitar o “Hospital de Proximidade” é ceder perante o Governo e inviabilizar a construção de um verdadeiro Hospital Público em Sintra

A Câmara Municipal de Sintra deliberou por maioria (votos favoráveis do PS, PSD e Sintrenses com Marco Almeida, e voto contra da CDU) celebrar um acordo de colaboração com o Estado Português (representado pelo Ministério da Saúde e Ministério das Finanças), tendo em vista a concretização e instalação de um Hospital de Proximidade no Concelho de Sintra.

Neste acordo a Câmara Municipal de Sintra assume a comparticipação de 30 milhões de euros e a Administração Central de cerca 21 milhões de euros.

A CDU foi ao longo dos anos no concelho de Sintra a força política que mais se bateu, ao lado das populações, pela construção de um hospital público, denunciando os graves problemas que existiam, prosseguem e se agravam no Hospital Amadora-Sintra ou nos diversos centros de saúde do concelho que foram abandonados pela tutela.

Este acordo constitui para a CDU uma clara assumpção de responsabilidades financeiras que apenas cabem à Administração Central, o que contribui para a diminuição da capacidade de investimento do município de Sintra nas áreas que são da sua inteira e total responsabilidade.

A CDU denuncia que a postura da Administração Central em relação ao Hospital de Sintra revela que ao longo dos anos este nunca foi uma prioridade, note-se o facto de ele constar no Plano Director Regional do Equipamento de Saúde desde 2002 e nunca ter passado do papel.

São publicamente conhecidas as acções realizadas da CDU na Câmara Municipal e Assembleia Municipal, e Assembleias de Freguesias do concelho de Sintra, bem como as propostas do PCP na Assembleia da República para a construção de um hospital em Sintra. Em 15 de Dezembro de 2016 o PCP apresentou o projecto de resolução n.º 574/XIII/2.ª “Pela construção urgente de um hospital público no concelho de Sintra e em defesa da melhoria dos cuidados de saúde”.

O acordo de colaboração agora aprovado para a construção do “Hospital de Proximidade de Sintra” inviabiliza a possibilidade da Administração Central assumir a construção de um hospital com a dimensão correspondente às necessidades de um concelho como Sintra. Lembramos que este é o segundo maior concelho do País e que os estudos técnicos do Ministério da Saúde desde 2002 sempre apontaram para a construção de uma unidade com mais de 300 camas de internamento. Só uma unidade com estas características, e não com 60 camas para convalescença conforme é agora acordado, serve os interesses da população de Sintra.

Não é aceitável que a maioria do executivo da Câmara Municipal de Sintra aceite um protocolo para a construção de um "hospital" no segundo maior concelho do país que não comporta sequer a especialidade de maternidade-obstetrícia.

O Ministério da Saúde ao não realizar o investimento necessário cria as condições para o aparecimento de unidades de saúde privadas que comprometem seriamente a existência de um verdadeiro hospital de plataforma B (300 camas).

Importa denunciar que foi anunciado o aumento do número de camas de convalescença (mais 100 camas) na Parceria Público-Privada do Hospital de Cascais, quando esse investimento devia ser feito em Sintra. O que observamos no Programa de Estabilidade e Crescimento do actual Governo é a perspectiva da continuação da aposta nas Parcerias Público-Privadas, nomeadamente o aumento dos pagamentos aos grupos económicos a quem foi entregue a gestão dos hospitais de Braga, Cascais, Loures e Vila Franca de Xira.

Melhor fariam, ou teriam feito as forças políticas que hoje aprovam este acordo, em ter exigido do Estado a construção de um verdadeiro hospital em Sintra, permitindo dessa forma o investimento em áreas que são da responsabilidade do município, nomeadamente, por exemplo, no que diz respeito ao parque escolar, e em que segundo estimativa do próprio município são necessários mais de 100 milhões de euros para a reabilitação das escolas do 2.ª e 3.ª ciclo.

A Coordenadora Concelhia de Sintra da CDU1906

Sessão pública em Albarraque

riomouro1307

PCP apresenta moção e CM Sintra aprova: Pela contratação de educadores, professores e assistentes operacionais essenciais para o funcionamento da escola pública

 

trabalhadores nao docentesO PCP apresentou uma moção, que a Câmara Municipal de Sintra aprovou por unanimidade, em que insta o Governo a  rever, com carácter de urgência, de forma a que seja autorizada a contratação de um número de assistentes operacionais adequado às necessidades extraordinárias, decorrentes das medidas adicionais de Higiene e Segurança de cada escola. Assim como tambem insta a revisão que estabelece os rácios para a contratação de pessoal não docente, por forma a permitir o reforço, em pelo menos 20%, face ao número de trabalhadores previstos na actual portaria. O terceiro ponto aprovado na moção é a tomada, de medidas urgentes por parte do Governo, que visem a contratação dos educadores e os professores necessários para o normal funcionamento do ano lectivo.

Continuar...

CDU vista a Cooperativa "O Nosso Lar", na Quinta do Mirante em Queluz

 

nossolar2509Pedro Ventura, candidato à Presidência da Câmara Municipal de Sintra e Helena Freitas, candidata à Presidência da união de Freguesias de Queluz Belas, visitaram as instalações da Cooperativa "O Nosso Lar" na Quinta do Mirante e reuniram com a sua direcção.

Nesta visita, foram ouvidas as preocupações da direcção da Cooperativa e as suas perspectivas de futuro. Pedro Ventura e Helena Freitas, apresentaram neste encontro soluções objectivas para as dificuldades sentidas por aquela Cooperativa.

Pedro Ventura, Cabeça de Lista da CDU à Câmara Municipal de Sintra

PedroVenturaCaros camaradas e amigos,

Aceitar encabeçar a lista da CDU à Câmara Municipal de Sintra é para mim um dever de cidadania. Quem sente de perto os problemas deste concelho e sabe que pode contribuir para que ele seja muito melhor do que agora é, tem de estar disponível para o fazer no lugar onde esse contributo é mais eficaz.
Por isso apresentamos hoje a minha candidatura a Presidente da Câmara Municipal de Sintra e a do António Filipe a Presidente da Assembleia Municipal, sabendo que, na CDU, pautamos a nossa acção política no princípio de que o trabalho a realizar é colectivo. Esta candidatura não se centra em mim mas sim nas propostas que o PCP, o PEV e a ID têm para o concelho de Sintra, e por isso afirmamos que, contra candidatos que apenas têm ambições pessoais, o projecto da CDU resulta da visão de uma equipa vasta de homens e mulheres que, candidatando-se à Câmara, à Assembleia Municipal e às freguesias, fazem-no para servir e para responder aos problemas das populações, dando corpo a uma política de mudança.

Continuar...

Assembleia de Freguesia de Rio de Mouro aprova moção de censura à Junta de Freguesia de Rio de Mouro.

Por proposta da CDU, a Assembleia de Freguesia censurou a Junta pela má gestão financeira, que põe em causa a capacidade da Junta para assumir os seus compromissos financeiros futuros.

O saldo da Junta chegou a ser quase meio milhão de euros. Em Maio último era apenas de 23 mil euros. Sem receitas extraordinárias seria um saldo negativo de 145 mil euros.

Ainda não é tarde. Este caminho pode ser revertido, desde que sejam tomadas medidas de rigoroso controlo orçamental. A CDU sabe, por experiência própria, a importância de autarquias com boa saúde financeira e capacidade de investimento para responder aos problemas das populações.

A bancada do PS, isolada, foi a única a votar contra e, sem argumentos para contestar os dados apresentados pela CDU, não participou no debate. O BE absteve-se, não tem opinião sobre a saúde financeira da nossa Junta de Freguesia.

cduass1107

A CDU em Mem Martins

 

algueirao2009Os candidatos da Coligação PCP-PEV estiveram na zona central de Mem Martins, proseguindo os contactos com a população e comerciantes, dando a conhecer as propostas da CDU para o concelho de Sintra.

A CDU em Algueirão - Mem Martins tem um percurso comprovado de capacidade de trabalho, honestidade, competência e dinâmica para a construção do futuro. A CDU confirma a sua determinação em assegurar, no futuro mandato, uma presençade trabalho, honestidade e competência que dê continuidade a um projecto com provas dadas e de reconhecida qualidade na intervenção e gestão na Junta de Freguesia do Algueirão-Mem Martins.

Queluz e Belas merecem melhor!

 

A candidatura da CDU efectuou esbelas2409ta manhã um percurso de ligação entre as freguesias de Queluz e Belas, onde foram assinaladas as principais propostas, que constam no compromisso eleitoral da CDU, para requalificar o Património da Freguesia.
Pedro Ventura, candidato à Presidência da Câmara Municipal de Sintra, António Filipe, candidato à Presidência da Assembleia Municipal, Helena Freitas candidata à Presidência das Freguesias de Queluz e Belas, bem como outros candidatos e activistas da CDU, percorreram os vários locais da freguesia, colocando placas identificativas, com as propostas da CDU:
Concluir as
restantes fases do Parque Felício Loureiro e trabalhar com a Câmara Municipal para executao Corredor Verde Queluz-Belas e da ecopista "Rota Setecentista das Marias", fazendo a ligação entre o Palácio de Queluz e o Palácio de Belas; Exigir que a Quinta Nova da Assunção seja um espaço de fruição pública; Promover a requalificação do Centro Histórico de Belas.
Queluz e Belas merecem melhor!
Confiança na CDU, confiança numa equipa jovem e experiente.
Consigo é possível!

Luís Morais é o Candidato da CDU à Presidência da Junta de Freguesia de Rio de Mouro

rio de mouro 4A CDU procedeu no passado sábado, dia 6 de Maio, no Mercado de Rio de Mouro, à apresentação pública da sua candidatura à Junta de Freguesia de Rio de Mouro, esta iniciativa pública contou com a participação de Maria Alice Monteiro, mandatária da candidatura e de António Filipe candidato da CDU à presidência da Assembleia Municipal de Sintra. Luís Morais é o Candidato da CDU à Presidência da Junta de Freguesia de Rio de Mouro.