MUSEU DO OPERÁRIO E DA ACTIVIDADE INDUSTRIAL EM LISBOA – PROPOSTA DO PCP

 

industriaLisboa foi ao longo da sua história uma cidade de trabalhadores e de trabalho. Essa realidade ainda marca todo o seu território, existindo concentração de grandes indústrias ao longo da zona ribeirinha, a par de uma malha de pequenas indústrias e oficinas que se estendia a toda a área do concelho.
 
A importância das marcas do passado operário e industrial na cidade de Lisboa  contribuíram para
a criação dos Itinerários de Lisboa, designadamente o “De Xabregas ao Beato” e o do “Poço do Bispo e Marvila Antiga”. Nestes percursos, promovidos pela Câmara Municipal de Lisboa, são recordadas as marcas do passado operário, fábricas e vilas operárias e os vestígios da cidade industrial.
 
O operariado habitava e marcava a cidade com a sua cultura, o que era visível na existência das vilas operárias, das pequenas fábricas e oficinas, das colectividades que encontramos em praticamente todos os bairros, a par dos grandes aglomerados de população operária, nos quais se salientam os bairros de Alcântara e Xabregas/Beato.
 
É importante que se proceda à investigação, à conservação e à divulgação da memória do trabalho industrial, dos seus trabalhadores e da sua cultura, na cidade de Lisboa.
 
O PCP considera  que se deve recordar e homenagear aqueles que contribuíram também para a história da cidade.
 
A maioria dos pontos deliberativos da proposta apresentada pelo PCP, na CML que defendia a criação do Museu do Operário e da Actividade Industrial em Lisboa, foram reprovados pelo PS, PSD e CDS.  Ainda assim foi  aprovado por unanimidade o ponto 2 da parte deliberativa da proposta, que defende a criação de um grupo de trabalho do projecto do Museu que deverá integrar personalidades e representantes de organizações relevantes e de reconhecido mérito, para além de representantes do município, especialistas em museologia, dirigentes e antigos dirigentes de organizações representativas dos trabalhadores e de colectividades operárias da cidade de Lisboa, investigadores da História do Movimento Operário, da cultura e da cidade de Lisboa, entre outros.
 
Este grupo de trabalho deverá acompanhar a instalação do Museu até à sua abertura e durante o primeiro ano de vigência do mesmo.
 
Não existe nenhum museu que homenageie o mundo do trabalho na cidade de Lisboa, e por isso os vereadores do PCP irão acompanhar a execução desta proposta  pela necessidade de colmatar esta lacuna na política cultural da cidade.
 
Consulte aqui a Moção