Uma força democrática e revolucionária com um papel fundamental

 

MandatárioA CDU apresentou esta quarta-feira, 30 de junho, o seu mandatário concelhio, António Modesto Navarro, e a sua primeira candidata à Assembleia Municipal de Lisboa.

 

Na sua intervenção, António Modesto Navarro historiou o papel do PCP e de outros democratas no estabelecimento de um poder local democrático, e os primeiros passos ensaiados logo depois da Revolução de Abril.

 

“Somos, portanto, a força política democrática e revolucionária que tivemos e continuamos a ter um papel fundamental na democratização das autarquias, na acção diária de ouvir as populações e os trabalhadores, de darmos caminhos justos e eficazes às aspirações e propostas populares.”

 

Lembrou que a CDU e os seus eleitos não estão nos órgãos autárquicos para se banquetear, mas para servir as populações. “Não estamos nos órgãos municipais para ganharmos senhas de presença e para darmos cobertura a negócios e corrupções, a obras desfiguradoras e destruidoras desta cidade. Estamos lá, na Câmara Municipal, Assembleia Municipal e Assembleias e Juntas de Freguesia, para procurarmos conhecer melhor os problemas e as condições de vida difíceis das populações e para intervirmos de forma determinada.”

 

Modesto Navarro recordou a luta da CDU para impedir a destruição de seis hospitais em Lisboa, com uma área somada equivalente à baixa, à especulação imobiliária, deixando o Serviço Nacional de Saúde com menos meios e alimentando assim os interesses dos negócios da saúde.

 

O mandatário da CDU também lembrou a oposição dos eleitos desta força política à extinção das freguesias das populações por motivos de “engenharia” eleitoral para servir determinadas forças políticas. “ Na Câmara Municipal e na Assembleia Municipal lutámos contra a divisão administrativa da cidade em 2012, imposta e negociada pelo PS e o PSD, que destruíram 53 Juntas de Freguesia e juntaram por exemplo 12 delas na chamada Santa Maria Maior, num crime imenso contra a essencial proximidade entre eleitos e populações que acontecia. Ficaram 24 aglomerações ao jeito eleitoral e também de negócios futuros.”

 

Modesto Navarro saudou a candidatura de Leonor Moniz Pereira e João Ferreira à Assembleia Municipal de Lisboa e à presidência da Câmara Municipal de Lisboa, defendendo as potencialidades do poder local democrático: “Continuamos a fazer propostas e a ouvir, bairro a bairro, freguesia a freguesia, as ansiedades e preocupações dos habitantes de Lisboa, dos trabalhadores explorados e sacrificados, dos comerciantes, dos pequenos e médios empresários que defendemos e são fundamentais para a vida económica e social da capital do país.”

 

Nota Biográfica de Modesto Navarro