Vereadores da CDU solidários com os trabalhadores em greve das Águas de Portugal

 

Protesto trabalhadores ETARNo seguimento da greve dos trabalhadores do grupo Águas de Portugal, realizada no passado dia 11, e que contou com a solidariedade do candidato da CDU à presidência da Câmara Municipal de Lisboa, João Ferreira, que esteve junto ao piquete de greve dos trabalhadores, na ETAR de Alcântara, a fim de se inteirar das suas reivindicações, os vereadores apresentaram hoje uma moção na reunião da Câmara Municipal,aprovada por maioria, com os votos

contra do CDS e do PSD que apenas votou favoravelmente o ponto n.1 da Moção.

 
O vereador do PCP dialogou, à porta das instalações, com os cerca de 40 trabalhadores do piquete de greve. Os trabalhadores das Águas de Portugal estiveram na linha da frente durante a pandemia mas Governo e patronato não os consideram merecedores de receber o suplemento de risco que foi atribuído, justamente, a outros trabalhadores. 
 
“Dizem que fazemos um trabalho de excelência, mas um trabalho de excelência merece um ordenado de excelência e não um ordenado de miséria”, afirmou um dirigente sindical. 
 
Apesar do grupo das Águas de Portugal ter tido um crescimento do seu volume de negócios, que ascendeu a 715, 3 milhões de euros, e um resultado líquido de 78,6 milhões de euros em 2019, os trabalhadores continuam a não ser devidamente remunerados. 
 
“O aumento do salário mínimo ultrapassou os três primeiros escalões salariais regulamentados no Acordo Colectivo de Trabalho. Há gente que trabalha dezenas de anos e ganha pouco mais do que o salário mínimo, fazendo noites, feriados e um trabalho muito difícil”, revelou um trabalhador a João Ferreira. 
 
Para além de defenderem um aumento de 90 euros por pessoa, os sindicatos querem a contratação de novos trabalhadores para o quadro, combatendo a existência de falsos recibos verdes e a total precarização laboral que tem sido promovida pelo patronato. 
 
O candidato da CDU e dirigente do PCP foi chamado a falar aos trabalhadores concentrados.
O dirigente sindical que estava no uso da palavra recordou que outros dirigentes políticos e eleitos tinham sido convidados a estar presentes, mas, afirmou, “está quem está com os trabalhadores”. 

Dar expressão à solidariedade - apresentação de Moção na Câmara Municipal, accionista do Grupo
 
Foi com esta garantia que o PCP e a CDU estarão sempre com os trabalhadores, que João Ferreira começou a sua intervenção, lembrando que a Câmara Municipal de Lisboa, de que as Águas Tejo Atlântico, do Grupo das Águas de Portugal, são accionistas, deve criar condições para que os trabalhadores tenham uma melhor vida, usufruam de condições dignas de trabalho.
 
“Da justeza desta luta, já aqui vocês disseram muito melhor do que eu poderia fazer. Quero, apenas, em nome do Partido Comunista Português e como candidato da CDU à presidência da Câmara Municipal de Lisboa, dar-vos uma palavra de solidariedade e incentivo. Há pouco, em conversa com um camarada vosso, ele lembrava, e muito bem, que a CML é um dos principais accionistas desta empresa, e o presidente da CML - que até gosta de mostrar fotografias dos golfinhos que voltaram ao Tejo - não se pode esquecer que aquilo que ele mostra com orgulho é o resultado do vosso trabalho”, disse. 
 
“E é mais do que justo que no momento em que mostra os bons resultados ambientais, não se esqueça das condições em que vivem e trabalham aqueles que permitem esses bons resultados”, acrescentou João Ferreira.  

 

Consulte aqui Moção