Grande greve dos trabalhadores da limpeza do Curry Cabral

A GIMG 20211207 120408creve dos trabalhadores da limpeza do Curry Cabral, que trabalham para a Sá Limpa, que decorreu no presente dia 7, teve uma adesão de cerca de 90%, os trabalhadores concentraram-se à porta do hospital Curry Cabral em grande número, dando uma grande força a esta luta, que é muito justa.
Do PCP esteve uma delegação que contou com a presença da Deputada do PCP na Assembleia da Republica, e mais dois camaradas da Organização Regional de Lisboa.


O PCP há muito que tem vindo a acompanhar a luta dos trabalhadores da limpeza do Centro Hospitalar de Lisboa Central, contra aquilo que têm sido os roubos que descarados da empresa Sá Limpa. Temos questionado os ministros da Saúde e do Trabalho, sobre as várias injustiças, ilegalidades.
Com a luta já foi possível travar os castigos que a empresa queria impôr aos trabalhadores que fizeram greve, no São José. Foi possível repor a três trabalhadoras do Curry Cabral os 20 euros mensais de despesas administrativas (roubo feito aos trabalhadores que têm penhoras), mas ainda há muitos trabalhadores a quem falta repôr.
Mas muito ainda falta conquistar: as transferências abusivas do pessoal têm que parar; a necessidade que existe de recrutar trabalhadores da limpeza (há locais onde deveriam estar 3, está apenas 1 trabalhador); o pagamento do subsidio de alimentação aos sábados e aos domingos; a falta de fardamento dos trabalhadores, cada um só tem uma farda (farda que necessita de ser lavada todos os dias); a falta de material de limpeza; o recibo de vencimento que só é entregue a dia 10, entre muitos outros pequenos ou grande abusos que vão se multiplicando.
O problema de fundo que continuamos a batalhar é que estes trabalhadores seja contratados directamente pelo hospital, poupava-se dinheiro e acabava-se com estas empresas que sugam duplamente os trabalhadores roubando-os e roubando os hospitais quando não fornecem o material necessário para a sua limpeza.