Transportes Públicos: Activamente solidário com a luta de trabalhadores e utentes, PCP chama Ministro do Ambiente para respostas urgentes!

mini-cartazete22092016Face à degradação dos transportes públicos na AM Lisboa, o PCP decidiu chamar o Ministro do Ambiente à Assembleia da República para esclarecer a razão do adiamento de medidas inadiáveis. Esta acção do PCP expressa a sua activa solidariedade com a justa luta dos trabalhadores e utentes, que conhecem esta semana importantes jornadas de luta.

Ler Requerimento em PDF

PCP questiona Governo sobre iminente ruptura do sistema de bilhética nos transportes de Lisboa

respurgentesO Grupo Parlamentar do PCP questionou hoje o Governo sobre um novo reflexo da degradação dos transportes públicos na Área Metropolitana de Lisboa: a iminente ruptura no sistema de bilhética, depois da OTLIS, as Administrações das Empresas e os Governos terem permitido que se esgotassem os bilhetes «Lisboa Viva» para a venda automática, uma situação cuja responsabilidade profunda deve ser imputada ao Governo PSD/CDS, mas sem ilibar o actual Governo que tarda nas respostas urgentes que se exigem para evitar o colapso do sistema.

Ler Requerimento do PCP

PCP confronta Governo com a irresponsabilidade e a ilegalidade que pautaram a sua resposta à greve de 27 de Agosto dos APA

20160827 113054O Grupo Parlamentar do PCP, cumprindo o compromisso assumido no sábado na concentração de trabalhadores no Aeroporto de Lisboa, confrontou hoje três Ministérios com os acontecimentos de sábado: o Ministério das Infraestruturas, questionando o que vai fazer o governo para satisfazer as justas reivindicações dos APA e impedir as multinacionais (Vinci, Prossegur, Securitas) de abusarem das concessões públicas; o Ministério da Administração Interna, questionando as ordens dadas à PSP e a falta de preocupação com a segurança aeroportuária; o Ministério do Trabalho para saber que fez a ACT face às ilegalidades cometidas pelo patronato durante a greve.

Ler Requerimentos ao M. Infraestruturas, ao MAI e ao M. Trabalho

Ler Comunicado do PCP aos APA

Patrão, escuta, os APAs estão em luta!

comunicado270816apasEm comunicado aos Assistentes de Portos e Aeroportos o PCP saúda a extraordinária jornada de luta que estão a desenvolver, denuncia as ilegalidades que foram e estão a ser cometidas pelo Governo e pelas multinacionais Vinci (via ANA), Prossegur e Securitas, e exige que o Governo mude de postura e apoie as justas reivindicações destes trabalhadores, que lutam contra a exploração, por melhores salários, condições de trabalho dignas e dignificação da sua actividade profissional. O PCP compromete-se a desenvolver novas iniciativas na Assembleia da República em defesa das justas reivindicações dos Assistentes de Portos e Aeroportos.

Ler Comunicado em PDF

Governo tenta reprimir greve dos APA's com serviços máximos ilegais

apasplenariotardeO Grupo Parlamentar do PCP questionou hoje o Governo sobre o despacho de serviços mínimos para a greve dos Assistentes de Portos e Aeroportos. Esse despacho é manifestamente ilegal, e as suas omissões são propositadas e destinam-se a permitir aos patrões ilegalmente chamar todos os trabalhadores para «a realização de serviços mínimos» como está já a acontecer. O governo ainda está a tempo de alterar a sua postura, ou caberá aos trabalhadores, com a total solidariedade do PCP, defender por todos os meios o seu direito à greve!

Ler Requerimento colocado pelo PCP

Dívida dos complementos roubados deve ser paga aos reformados!

complementosEm requerimento ao Governo o PCP valoriza o facto de o Tribunal da Relação de Lisboa ter adoptado diversos acordãos que dão razão às vítimas dos roubos dos complementos de reforma e que mandam devolver as quantias roubadas. Em vez de prosseguir uma litigância judicail que custará milhões de euros e só adiará o justo pagamento das verbas em dívida, o PCP questiona o Governo se não prefere dar à Administração do Metro e da Carris as orientações para acordar o pagamento desta dívida.

Ler Requerimento em PDF

Vasto consenso nas Autarquias em torna da proposta do PCP de Alargamento do Passe Social Intermodal

ilustrar camppasseAs OrganizaçõesRegionnais  de Lisboa e Setúbal do PCP estão a divulgar uma nota de imprensa de valorização da primeira fase da campanha pública pelo alargamento do passe social intermodal, onde destacam o facto de moções apresentadas pelos eleitos do PCP terem sido já aprovadas em orgãos municipais de 17 concelhos e em 51 freguesias de toda a Área Metropolitana, representando um vasto consenso que importa transformar em medidas concretas. O PCP anuncia ainda a realização em Setembro da segunda fase da camapanha.

Ler Nota de Imprensa em PDF

PCP apresenta requerimento sobre o trabalho com radiações ionizantes nos Aeroportos

O PCP começou a dar sequência às conclusões retiradas da Audição realizada no dia 3 de Junho aos Assistentes de Portos e Aeroportos. Hoje apresentou uma iniciativa sobre o trabalho com radiações ionizantes, alertando para o facto de que quer a ANA quer as operadoras não cumprirem o conjunto de medidas legalmente exigiveis, e exortando o Governo a tomar uma posição mais firme na defesa da lei e da saúde destes trabalhadores.

Ler Requerimento em PDF

Roubo nos descontos para o IRS na TAP: alguém é responsável!

tapirsO PCP colocou na Assembleia da República duas perguntas escritas ao Governo sobre o facto de muitos trabalhadores da TAP estarem a ser roubados no IRS por via das finanças estarem a recusar a inclusão das despesas com o Infantário da TAP nas declarações. A desculpa para esse roubo - uma questão técnica que a TAP e as finanças não quiseram resolver até hoje - não pode ser transformada num roubo aos trabalhadores, pelo que se exige uma solução para o IRS de 2015 e para este ano.

Ler Requerimento 1 e 2 em PDF

PCP dá a palavra aos Assistentes de Portos e Aeroportos: «Basta de Precariedade e Exploração!»

20160603audicao apasO PCP promoveu hoje (foto) uma Audição Parlamentar aos Assistentes de Portos e Aeroportos, numa iniciativa que contou com a participação de 70 trabalhadores do sector, oriundos dos aeroportos de Lisboa, Porto, Funçhal e Ponta Delgada, incluindo cerca de uma dezena de delegados e dirigentes do SITAVA.  O quadro traçado pelas mais de vinte intervenções deixou a imagem clara de um sector onde impera a precariedade e os baixos salários, com uma degradação preocupante das condições de trabalho. O PCP assumiu o compromisso de avançar com um conjunto de iniciativas parlamentares sobre o sector, mas saudou o despertar destes trabalhadores para a necessidade de tomarem em suas mãos a resolução dos seus problemas.