Estamos a construir uma grande greve geral

mini-metro2012ggNuma curta intervenção junto de um dos piquetes de greve do Metropolitano de Lisboa, Arménio Carlos sublinhou a grande greve que os trabalhadores portugueses estão a cumprir nesta madrugada: o Porto de Lisboa encerrado, a CP e o Metro paralizados, centenas de Empresas privadas como a Sotancro e Saint-Gobain, e de locais de trabalho da Administração Pública estão com adesões entre os 80 e os 100%. O ATAQUE É BRUTAL, A GREVE É GERAL!

Transportes: Reforça-se a luta contra a exploração e o empobrecimento de quem trabalha!

mini-IMAG0299Num dia em que os trabalhadores de duas empresas privadas de transportes - Rodoviária do Tejo e Barraqueiro Transportes - erguiam uma grande jornada de luta, os trabalhadores do Metro, num plenário que cortou a Rua Barbosa do Bocage frente à Sede (depois da administração ter recusado a cedência desta para a realização do plenário), decidiram do prosseguimento da sua luta com uma grande adesão à greve geral de 14 de Novembro. 

PCP denuncia aos trabalhadores mais um assalto às empresas públicas pelo capital: a especulação com as swaps!

metro20121008Num momento em que aos trabalhadores continuam a ser impostos cada vez mais roubos, a Célula do PCP no Metropolitrano de Lisboa dá conta do Requerimento do PCP na Assembleia da República sobre as perdas de milhares de milhões de euros em pura especulação financeira nas empresas públicas com as «swaps», numa prática que só no primeiro semestre custou 176 milhões de euros ao Metropolitano de Lisboa. Para se perceber a dimensão do roubo, o total das despesas com pessoal no Metro (trabalhadores e administração, salários, horas extras, impostos, TSU, pensões e afins) no primeiro semestre foram de 34 milhões, menos de 20% do gasto em «swaps». Dinheiro que saiu do Metro mas foi direitinho para os especuladores financeiros internacionais!

Ler Comunicado do PCP

PCP leva luta contra a privatização da TAP e da ANA à Assembleia da República

mini-20121002 audicao_tap_ana_bdNo quadro da luta contra a privatização da TAP e da ANA, o PCP promoveu na Assembleia da República uma Audição Parlamentar que contou com a participação das Comissões de Trabalhadores da TAP e da ANA, e, no plano sindical, da CGTP-IN, do Sitava e do SPAC. Uma iniciativa onde o PCP informou do agendamento, por iniciativa do PCP, da apreciação parlamentar ao decreto privatizador do Governo para 19 de Outubro - debate onde o PCP irá apelar ao chumbo parlamentar deste crime contra o país.

Ver vídeo com Bruno Dias

23h00 - CP, Metro de Lisboa e CP Carga paralisadas numa grande greve em defesa da contratação colectiva e contra o roubo nos salários

mini-Imagem0423As greves contra a imposição do novo código de trabalho e a tentativa de redução unilateral do pagamento do trabalho extraordinário (e em dia de descanso ou feriado) conhece este 15 de Agosto um momento alto face à convergência de um conjunto de pré-avisos de greve ao trabalho em dia feriado. Este dia 14, logo às 21h38 encerrava a circulação na Linha de Sintra da CP, seguida de imediato pelas linhas de Cascais e Azambuja. Neste momento a circulação na CP e CP Carga encontra-se totalmente paralizada e assim se espera que continue durante todo o dia de amanhã. No Metro de Lisboa, a adesão esmagadora dos trabalhadores à greve levou ao encerramento da circulação às 23h20, situação que se manterá apenas até às 8h30 de amanhã, face à decisão hoje tomada em plenário pelos trabalhadores. Durante todo o dia 15, a greve far-se-á igualmente sentir na Carris, na Refer e nos STCP. O PCP, activamente solidário com a luta, exige do Governo o fim dos roubos sucessivos aos trabalhadores e o respeito pela contratação colectiva livremente assinada. 

Comissões de Trabalhadores dos Transportes exigem respeito pela Constituição e mudança de políticas

Realizou-se o Encontro das Comissões de Trabalhadores do Sector dos Transportes, que contou com a presença das Comissões de Trabalhadores das seguintes empresas: CP; REFER; EMEF; CP-CARGA; CARRIS; METROPOLITANO de Lisboa; VIMECA; TAP; ANA. Divulgamos aqui as conclusões a qu chegaram, destacando a importante denúncia sobre a sistemática violação dos direitos constitucionais das CT's e da degradação da democracia que tal facto representa, e a crítica às contas de 2011 destas empresas, com o crescimento da exploração a seguir a par com o crescimento da sangria pela Banca.

Ler Conclusões em PDF

O Combate contra a destruição do Metro e da Carris também se trava na Assembleia da República

mini-33ATambém na Assembleia da República o PCP trava o combate contra a destruição do Metro e da Carris. Agora através da chamada a apreciação parlamentar (para o chumbar) do Decreto do Governo onde este, ilegalmente e contra os interesses das empresas, dos trabalhadores e dos utentes, aponta para a a fusão das administrações do Metro e da Carris.

Ler Requerimento em PDF

Trabalhadores dos Transportes e Comunicações exigem mudança de rumo em concentração frente ao Ministério da Economia

usar05062012fectransConvocados pela FECTRANS, um vasto conjunto de activistas e dirigentes das ORT's do Sector dos Transportes e Comunicações concentraram-se hoje frente ao Ministério da Economia, exigindo uma mudança de rumo no sector, onde as opções do Governo só servem os interesses das multinacionais e da banca, daqueles que já estão a pilhar o país.

Ver Resolução Aprovada

Sector Aéreo: Defender os salários, a contratação colectiva e as empresas!

aereo

No dia em que os trabalhadores da NAV realizavam mais uma jornada de luta (greve de 2h a cada turno), os trabalhadores das restantes empresas públicas do sector aérea realizavam uma vigorosa jornada de 24 horas de greve, que registou significativos níveis de adesão em Empresas como a ANA, a Portway e a Manutenção da TAP. Uma greve convocada para exigir o respeito pela contratação colectiva e pelos salários (face às violações e roubos em curso) e para promover a defesa destas empresas ameaçadas pela política de traição nacional em curso. 

Transportes: Roubam aos trabalhadores, oferecem à banca e às multinacionais! É preciso reforçar o PCP!

transportes26Num Comunicado aos trabalhadores das Empresas Públicas de Transportes, o PCP ilustra com os dados já conhecidos de 2011 quais os efeitos práticos do corte de salários nestas empresas: os milhões que roubaram ao trabalho foram direitinhos para o aumento de juros. O PCP reafirma ainda que um ano depois, tudo está pior e mais pobre, excepto a banca e as multinacionais. E alerta para as consequências da política de traição nacional que está ser implementada.

Ler Comunicado em PDF