Contra os cortes na área da cultura: comunicado do Sector Intelectual de Lisboa

Sala vaziaNa sequência da promulgação do decreto-lei de execução orçamental 72-A/2010, de 18 de Junho, o Sector Intelectual de Lisboa do PCP vem por este meio manifestar o seu repúdio e total discordância perante o corte de 10% de todos os apoios para as estruturas de criação artística independentes em Portugal por parte do Ministério da Cultura. A cultura, que tem sido alvo de cortes sucessivos pelos governos PS e PSD, é condição essencial para a construção de uma democracia plena. Os novos cortes agora anunciados vêm desvalorizar ainda mais a função social dos criadores e dos trabalhadores da área cultural e das suas estruturas, agravando drasticamente as suas condições de trabalho e estabilidade profissional. É necessário e urgente romper com esta política de desresponsabilização e asfixia financeira, de esvaziamento e secundarização da cultura e dos seus trabalhadores. 


No dia 12 de Julho, segunda-feira, o grupo parlamentar do PCP promove uma audição pública para discussão destas medidas, às 17h, na Sociedade de Instrução Guilherme Cossoul (Av. D. Carlos I, n.º 61, 1º – Lisboa).

O Sector Intelectual de Lisboa do PCP