PCP avança com apreciação parlamentar para reverter fusão do GISAF e do GPIAA

Cumprindo um dos compromissos assumidos na Audição Pública sobre «Segurança e Fiabilidade na Ferrovia» (na foto), o PCP apresentou hoje um Projecto de Apreciação Parlamentar ao Decreto-Lei do Governo que fundiu o GISAF e o GPIAA, ou seja, que decidiu fundir a investigação de acidentes ferroviários e aeronáuticos. Uma medida errada, perigosa e que omite a necessidade de aumentar o investimento nesses organismos em vez de prosseguir as poupanças cegas que acabarão por sair muito caras ao país, e que a Assembleia da República deve agora anular.

Ler Projecto de Apreciação Parlamentar 

Contra a liberalização do Sector do Táxi: a luta continua!

comunicadotaxi20170403A Célula do PCP no Sector do Táxi está a distribuir um comunicado aos profissionais do Sector onde faz um ponto da situação da luta contra a liberalização. Um comunicado onde se abordam as propostas de lei do Governo e do BE (que criariam um novo regime) e as propostas de alteração que o PCP apresentou que desarticulariam os aspectos gravosos contidos na proposta de Governo. Um comunicado onde se aborda ainda a luta pela aplicação da lei com as autoridades a serem progressivamente obrigadas a actuar contra as ilegalidades.

Ler Comunicado em PDF

Editado Boletim do Sector Ferroviário: Prioridade à segurança e fiabilidade

bol ferr abril 17aEstá em distribuição o Boletim de Abril do Sector Ferroviário do PCP. Nele se abordam questões como a Audição do Partido sobre «Segurança e Fiabilidade na Ferrovia», a precariedade na EMEF, a situação da reposição do primado da contratação colectiva e a reversão dos roubos por via do OE e do DL 133/13, a inauguração do R1 do Alfa Pendular, e ainda se inclui um artigo com perguntas e respostas sobre as alterações ao Regulamento Geral de Segurança RGS 1.

Ler Boletim em PDF 

Trabalhadores da EMEF concentrados frente à sede da empresa em luta pelo Caderno Reivindicativo

20170328 110158Os trabalhadores da EMEF estiveram hoje em luta em defesa do seu Caderno Reivindicativo, contra a precariedade, pela contratação colectiva e contra os baixos salários. No quadro de uma greve com elevada adesão, estiveram concentrados à porta da Administração na Amadora (foto) e à tarde os mais jovens juntaram-se à manifestação da juventude trabalhadora.

PCP promove Audição às ORT's do Metropolitano de Lisboa

20170324 175513Face à situação que se vive no Metropolitano, o PCP promoveu na Assembleia da República no dia 24 de Março uma Audição às ORT's da empresa. Uma reunião onde se confirmaram as preocupações com o adiamento das medidas operacionais urgentes que se impõe, com um clima que prevalece de perseguição aos trabalhadores, e com a crescente degradação da segurança e fiabilidade da operação. O PCP comprometeu-se a avançar com um conjunto de novas iniciativas legislativas para obrigar o Governo a romper com o caminho de degradação da empresa que o anterior governo lançou para conseguir privatizá-la.  

Adiamento das medidas urgentes continua a degradar a oferta no Metropolitano de Lisboa

metrocorteamadoraA partir do dia 27 de Março a oferta do Metropolitano sofre uma nova degradação, desta vez com o corte para metade das circulações na hora de ponta para as três estações da Amadora: Alfornelos, Amadora Este e Reboleira. A administração justifica-se com a falta de material circulante, que é real, mas o PCP destaca que ainda não foram tomadas medidas essenciais para repor a capacidade de resposta das oficinas (contratação de trabalhadores, reabertura do PMO2 nas calvanas). Os trabalhadores têm propostas (que a administração recusa sistematicamente) para organizar a produção com os actuais meios,  mas o governo continua a adiar resposta, a fazer promessas e a deixar degradar a situação. O PCP questionou o Governo na Assembleia da República.

Ler Requerimento em PDF

Trabalhadores da CarrisBus vítimas de sobreexploração exigem respostas da Câmara Municipal de Lisboa

20170323 carrisbusOs trabalhadores da CarrisBus estão em luta contra a precariedade e a exploração e pelo direito à contratação colectiva. Hoje concentraram-se em frente da CMLisboa, a quem têm uma reunião pedida há meses sem qualquer resposta do Presidente da Câmara. Quem desceu para falar com os trabalhadores em luta foi o Vereador da CDU, João Ferreira, que deu conta das questões que já colocara na reunião, e assumiu o compromisso de continuar a exigir que a Câmara aceda às justas reivindicações destes trabalhadores. Na concentração interveio ainda Arménio Carlos, Secretário-Geral da CGTP-IN.

PCP continua a luta contra a liberalização e a exploração no Táxi

quadradotaxi17Começou hoje na Assembleia da República o debate da Proposta do Governo de liberalização do sector. Uma proposta que apresentando-se como de regulamentação das plataformas electrónicas, é de facto um ataque brutal ao sector do táxi, legalizando uma actividade, hoje ilegal, que actua em concorrência desleal e que tem como objectivo assumido a eliminação do sector do táxi, o aumento da exploração e a colocação de toda esta actividade económica sobre a dependência de uma multinacional e dos capitalistas que a financiam (goldman sachs, fundo soberano da arábia saudita e afins). O PCP criticou o governo por alinhar, mais uma vez, com as multinacionais contra o sector, anunciou a sua oposição a esta iniciativa (razão porque não apresentou qualquer projecto-lei) e sublinhou que as propostas de alteração que apresentou à proposta do Governo se destinam a eliminar dela os elementos que são um ataque ao sector do táxi.

Ler Propostas de Alteração do PCP

Ler Intervenção do PCP

PCP questiona governo sobre futuro dos trabalhadores dos navios Porto e Funchal

20170308naviosfunchalporto

O Partido Comunista Português deslocou-se hoje ao Cais da Matinha no Porto de Lisboa, tendo contactado com tripulantes dos navios Funchal e Porto, que ali se encontram desde 2015, afetados pelas graves consequências de um processo de insolvência daquele que em agosto de 2013, Pedro Passos Coelho apontou como um empresário modelo para o país. Aos trabalhadores está a ser imposta uma situação insustentável, particularmente desde dezembro de 2016, altura em que deixaram de ser pagos os salários a estes trabalhadores e deixou de ser feito o abastecimento de combustível a estes navios, degradando as condições de trabalho e de habitabilidade a bordo. O PCP já exigiu do Governo uma pronta resposta a esta situação.

Ler Requerimento em PDF

Audição Parlamentar «Prioridade à segurança e fiabilidade na operação ferroviária»

20170306 audicaoferroviariosNa Audição realizada dia 6 de Março participaram as Comissões de Trabalhadores da CP, da Medway (ex-CP Carga) e da IP, bem como um vasto conjunto de Sindicatos: FECTRANS, SNTSF, SMAQ, SFRCI, APROFER, SINAFE. Ficou patente que a segurança e fiabilidade da operação ferroviária deixou de ser há largos anos uma verdadeira prioridade para o poder político, substituída por preocupações economicistas que dão prioridade à mercantilização do transporte e à criação de condições para o aumento de lucros para o capital privado. O PCP assumiu o compromisso de avançar com iniciativas concretas nesta matéria, seja em torno do processo de alteração do RGS (Regulamento Geral de Segurança, onde pretendem levar a tripulação mínima a um trabalhador por comboio), seja combatendo a extinção do Gabinete de Investigação de Segurança e de Acidentes Ferroviários (GISAF) e a fusão da REFER com as Estradas de Portugal, seja combatendo a desertificação das estações e o desinvestimento no material circulante e na infraestrutura, seja em torno das múltiplas questões trazidas à Audição e que merecem ser tratadas.