Seguros: Trabalhadores em luta pela aplicação do Contrato Colectivo, contra o atropelo da lei por parte do patronato

Respondendo ao apelo do SINAPSA (Sindicato Nacional dos Profissionais de Seguros e Afins), dezenas de trabalhadores do sector dos seguros concentraram-se ontem à porta da sede da associação patronal (APS-Associação Portuguesa de Seguradores) exigindo o cumprimento do Contrato Colectivo de 2008 e o aumento dos salários que estão congelados desde 2010. Apesar de o Contrato Colectivo ser reconhecido como válido pelas diferentes entidades chamadas a pronunciarem-se (incluindo o Tribunal de Trabalho do Porto) as grandes companhias, seguindo as orientações da APS, recusam-se a aplicá-lo em claro confronto com a lei, sem que Governo, Presidente da República ou qualquer outra entidade (como por exemplo o "regulador" Instituto Português de Seguros) impeça este atropelo aos mais elementares direitos de quem trabalha.  Esta ofensiva desenvolveu-se após os sindicatos do sector filiados na UGT terem assinado um novo Contrato Colectivo em 2012 que na prática apenas garante os direitos das entidades patronais. Os trabalhadores demonstraram a sua firmeza em continuar a luta e receberam o apoio e saudação de Arménio Carlos, Secretário Geral da CGTP-IN, que marcou presença e interviu para os presentes.