Centro Hospitalar Lisboa Central: reestruturação ou destruição?

A Célula do PCP no Centro Hospitalar Lisboa Central (CHLC) denuncia que a política de reestruturação que está a ser conduzida, "há medidas que estão a ser implementadas que, surgindo no sentido da redução de capacidades e da destruição da oferta de serviço público, exigem esclarecimento."

 

 

COMUNICADO DA CÉLULA DO PCP NO CHLC

A política de reestruturação do CHLC, com concentração de recursos humanos e materiais de áreas afins e das mesmas especialidades, será compreensível se for no sentido de gerar maior capacidade (redução de listas de espera em várias especialidades cirúrgicas) e melhor atendimento para os doentes, assim como melhores condições de trabalho para os profissionais da Instituição.

Mas, há medidas que estão a ser implementadas que, surgindo no sentido da redução de capacidades e da destruição da oferta de serviço público, exigem esclarecimento.

ENCERRAMENTO DO BLOCO OPERATÓRIO DE S. LÁZARO

1- O encerramento do Serviço de Ortopedia – Hospital de S.Lázaro e transferência para o Hospital Curry Cabral, vai fragmentar a Ortopedia, pois as Unidades de Fracturas e Vértebro-Medular estão no Hospital de S. José!... Sendo as condições físicas da enfermaria de S. Lázaro menos adequadas devido à sua degradação, pode perceber-se a medida.

2- Mas, o encerramento do Bloco Operatório – (as duas melhores salas dos Hospitais de S. José e de Santo António dos Capuchos, há pouco tempo totalmente renovadas), desperdiçando o seu aproveitamento, é escandaloso!...

Quando verificamos carência de salas operatórias, com tempos operatórios atribuídos às diversas especialidades que não são suficientes para dar resposta à lista de espera para cirurgias, sujeitando centenas de doentes a tempos de espera que ultrapassam todos os limites, levando à sua transferência para Instituições privadas – sendo o CHLC a pagar… (beneficiando os interesses de quem?), pergunta-se: qual o destino destas salas operatórias?

Porque não são rentabilizadas, dando hipóteses de maior capacidade de resposta e diminuição das listas de espera?

Porque motivo um investimento feito recentemente na sua renovação é desperdiçado?

Estando prevista a construção para breve de um novo Hospital Oriental em Lisboa, destinado a substituir em grande parte estas velhas instalações, porque não esperar até haver melhor condições?


MACAS NOS SERVIÇOS DE INTERNAMENTO

É frequentemente divulgado que temos camas a mais para internamento…

Todos nós, que trabalhamos nesta Instituição (e o panorama é igual em muitas outras) sabemos que a realidade é inversa!Temos falta de camas para um atendimento/internamento em condições dignas.

Mas agora já é oficial… O Conselho de Administração do CHLC fez publicar, em 10 de Dezembro, a Circular Informativa 469/2013, a “normalizar” a existência de macas nos Serviços de internamento (2 doentes extra lotação para cada enfermaria…).

Então há camas a mais? Continuamos a encerrar serviços? Onde vamos parar?

Que condições há para os doentes e para os profissionais?

Já agora, também há pessoal a mais… mas não chega para as tarefas básicas!

Isto é uma pequena amostra do que querem fazer ao SNS.

Na sua construção todos participámos

Contra a sua destruição lutaremos

A Célula do CHLC do PCP, Janeiro de 2014