Jerónimo de Sousa em Vialonga

A seis dias das Eleições Legislativas, Jerónimo de Sousa, visitou a Freguesia de Vialonga, onde foi recebido com uma «multidão» de militantes, activistas e amigos da CDU.

 

O ponto de encontro, poucos minutos depois das 10 horas da manhã, foi junto ao largo da igreja, onde mais de uma centena de pessoas, empunhando as cores da CDU - o verde, o vermelho, o amarelo, o branco e o azul - esperavam, ansiosamente, o Secretário-geral do PCP.

 

Durante a arruada pelas ruas da Freguesia, Jerónimo de Sousa esteve no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Vialonga, onde ouviu queixas dos «soldados da paz». «O que faz falta, efectivamente, é uma casa nova. Isto está a rebentar em termos de serviço», afirmou um bombeiro, lamentando o esquecimento do poder central em relação a este tipo de equipamentos.

 

Presente nesta iniciativa esteve ainda a primeira funcionária que aqueles bombeiros voluntários tiveram. «Estamos há mais de 30 anos à espera de um quartel novo. Estes homens precisam de tudo. As camaratas são pequenas e as ambulâncias ficam todas na rua. Isto é uma vergonha», acusou a senhora, que pediu ao Secretário-geral do PCP: «Não te esqueças dos Bombeiros da Vialonga».

 

Mais tarde, depois de um honesto e sincero contacto com a população, realizou-se um pequeno comício, bem no centro de Vialonga, «uma Freguesia que se orgulha de ser, à 35 anos, CDU».

 

Na sua intervenção, Jerónimo de Sousa começou por recordar que foi em Vialonga que participou, pela primeira vez, num comício, na Casa do Povo, ainda no tempo do fascismo, «onde o povo cedo afirmou os seus sentimentos democráticos».

 

Sublinhou ainda que aquela Freguesia sempre foi uma «terra de trabalho, de gente de trabalho». «Que bom que é ver aqui tantos rostos de gente que trabalhou comigo, de gente que lutou comigo, de gente que foi capaz de afirmar o 25 de Abril de 1974, de gente que saiu da fábrica e que agora está a dirigir os destinos das autarquias, com a confiança do povo da Vialonga», afirmou, referindo-se a José António Gomes, presidente e candidato da CDU à Junta de Freguesia de Vialonga. «É de facto um reencontro afectivo, mas simultaneamente uma clara afirmação de que a CDU está bem, de que está a crescer, de que a CDU vai avançar nas Eleições do dia 27 de Setembro», acrescentou.

 

O Secretário-geral do PCP, «cercado» pelos seus camaradas, que cedo conhecem a «dureza do trabalho» e o que «custou alcançar conquistas e direitos», alertou ainda para as dificuldades que os trabalhadores, os reformados e a juventude, particularmente, enfrentam, fruto de «uma política de direita que dura há mais de 33 anos». «Tendo em conta aquilo que viveram, por aquilo que passaram e que lutaram, por aquilo que acreditam, no dia 27 de Setembro vai confirmar-se uma grande vitória da CDU, também aqui em Vialonga», acentuou, lembrando que «estas eleições podem determinar muito do que se vai passar nos próximos anos em Portugal, no plano da política nacional. É uma eleição para escolher deputados, que pode, devido à correlação de forças, estabelecer na Assembleia da República uma nova política, rompendo com esta, que tem sido tão desastrosa e encontrar uma solução para os problemas do País e do povo português.»

 

Jerónimo de Sousa alertou ainda para o facto de o PS, «depois de quatro anos e meio de política desgraçada», insistir que «vai manter o rumo, que vai manter o essencial da mesma política, que levou Portugal ao desemprego, à pobreza, às desigualdades, em que os salários e as reformas são desvalorizadas. Um País onde apenas prolifera o poder dos fortes, dos grandes grupos económicos e dos banqueiros.» «Com o reforço da CDU podemos dar a volta a isto. A CDU tem propostas e é indispensável em qualquer política de esquerda, em qualquer governo de esquerda. Se o povo nos der força, podemos mudar as coisas a partir do dia 27 de Setembro», disse o Secretário-geral do PCP, concluindo: «Vialonga e a sua população fará a sua parte. Aqui venceremos, avançaremos, com a certeza de que é possível uma vida melhor para o nosso País, para a nossa região, para as nossas freguesias. Viva a CDU!»