CDU visita o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária - INIAV

Tendo estado no ITQB de manhã, a tarde do dia 25 foi reservada para a visita ao Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária-INIAV, entidade criada recentemente e que veio substituir a extinta Estação Agronómica Nacional. A mesma delegação da CDU - Rogério Pereira (cabeça de lista à União das Freguesias de Oeiras e S. Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias), Carlos Coutinho (cabeça de lista à Assembleia Municipal de Oeiras) e Daniel Branco (candidato à presidência da Câmara) – visitou o local e conversou longamente com os responsáveis desta importante estrutura do Estado.

O Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I. P. (INIAV) é o Laboratório de Estado, criado em 2012, para desenvolver atividades de investigação nas áreas agronómica e veterinária. O INIAV passou a ficar com todas as atribuições relacionadas com a investigação agrária  (que competia ao INIA) e veterinária do antigo Instituto Nacional dos Recursos Biológicos I.P. (INRB). Ficaram de fora da alçada do INIAV as áreas das pescas e da aquicultura, as quais foram incorporadas no Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I. P. (IPMA). A estrutura e recursos agora sediados nas instalações antes pertencentes à Estação Agronómica Nacional, articulam-se e coordenam os designados Polos de Atividade, unidades ou centros operacionais onde são desenvolvidas as diferentes atividades do INIAV, e que se encontram distribuídos por 8 distritos nacionais.

Na foto, da esquerda para a direita: Nuno Canada e Carlos Caldas, membros do Conselho Directivo do INIAV, Carlos Coutinho e Daniel Branco, os candidatos municipais.

Depois de uma particularizada discrição das áreas de investigação e da excelência dos laboratórios de que ficará dotado, concluído o processo de integração (previsto para finais de 2014) a equipa de direcção do instituto passou a transmitir à CDU a sensibilidade e o significado para a economia nacional e para a saúde pública da actividade. A maior parte das doenças são contraídas na relação com o meio e cerca de 50% tem origem nos animais: Assim todo o consumo alimentar quer de produção nacional quer de importação, terão o seu controlo sobre a orientação e intervenção dos laboratórios de referência do INIAV, os quais estão equipados para as diferentes áreas: Saúde animal, Segurança alimentar, Conformidade de fertilizantes e Sanidade das plantas (organismos de quarentena).

Os problemas, nesta fase são complexos e requerem tempo de solução, pois trata-se de integrar organismos de diferentes culturas e fazer transferência de muitas pessoas, prevendo-se que dos actuais efectivos (cerca de 250 pessoas) se possa vir a atingir um quadro possivelmente superior a 400 funcionários, grande parte deles de elevada qualificação e formação técnica. Este aspecto viria a criar espaço de reflexão em torno de questões de parceria e colaboração com o ITQB não só quanto a potenciarem-se projectos/protocolos colaborativos como também de eventual partilha de recursos, designadamente quanto ao uso das instalações para acomodação de pessoas. O INIAV dispõe de condições para residência de 50 pessoas, capacidade claramente excedentária relativamente às necessidades previsíveis.

Mas existem outras questões. O vogal do Conselho de Gestão do INIAV referiu as mais preocupantes: o preço da água, o qual (2,5 €/m3) parece ser um tarifário que não reflecte qualquer critério ou politica justa ou adequada ao serviço público e à importância do INIAV (refira-se que o consumo mensal anda na ordem do milhão de metros cúbicos); a questão do policiamento, que é uma questão sobre a qual o INIAV tem elevadas expectativas de apoio por parte da policia municipal e outros problemas resultantes das exigências da manutenção dos espaços verdes e das infraestruturas da vasta e diversa área do “campus”

Na foto: vista aérea da Abegoaria, também conhecida por Casal da Manteiga, onde está a Adega do Vinho de Carcavelos.

Outro aspecto relevante que foi anotado pela delegação da CDU foi a espectativa quanto ao desenvolvimento da parceria do INIAV com a CMO quanto à melhoria do potencial de exploração do Vinho de Carcavelos, designadamente quanto ao incremento da produção e politicas de marcas e estratégia de comercialização. Actualmente, a plantação e fabrico do vinho são atribuições da INIAV e o engarrafamento e a distribuição competem à CMO que destina à INIAV uma parte, a título de retribuição e que é engarrafado com marca distinta…

Na foto: “Casa da Pesca”.

No decurso da reunião passou-se em revista, sem contudo aprofundar o tema, as questões relacionadas com o património que integra o campus, nomeadamente o complexo designado e conhecido como “Casa da Pesca”, mas que integra a “Cascata dos Gigantes”, está classificado como Monumento Nacional desde 1940, e que se encontra numa fase de degradação. Os responsáveis do INIAV reconhecem a necessidade de intervenção especializada e urgente mas refere que, no imediato, o que está em condições de fazer é tratar de dar protecção àquele valioso património, assegurando a curto prazo as obras para a cobertura a fim de fazer parar a degradação e evitando que aquela memória se perca. 

A CDU anotou…