A SAÚDE precisa de cuidados intensivos em LOURES

louressaude.jpgLoures apresenta um preocupante nível de incapacidade de resposta às necessidades da população utente do SNS (Serviço Nacional de Saúde). Os últimos anos ficaram marcados pelo encerramento de 5 unidades, enquanto todas as necessidades eram apenas objecto de promessas e novas promessas.
 
A SAÚDE precisa de cuidados intensivos em LOURES
É urgente mudar de política


Loures apresenta um preocupante nível de incapacidade de resposta às necessidades da população utente do SNS (Serviço Nacional de Saúde).

Nos últimos quatro anos Loures assistiu ao encerramento de três CATUS (Loures, Prior Velho e Santa Iria de Azóia), ao encerramento do Centro de Saúde de Camarate, à tentativa de encerramento das urgências do Hospital Curry Cabral.
 
No concelho há ainda cinco freguesias sem qualquer unidades de saúde: S. Julião do Tojal, Fanhões, Frielas, Portela e Camarate.

A esmagadora maioria dos centros e extensões de saúde funcionam em edifícios sem quaisquer condições para o efeito, sendo urgente a sua substituição por novos equipamentos como é o caso de Santo Antão do Tojal, Moscavide, Santa Iria de Azóia, Apelação e Unhos.

Existem apenas dois CATUS para uma população de 200 mil habitantes, um deles, o de Moscavide, servindo 140 mil utentes das dez freguesias da zona oriental do concelho:

No concelho de Loures o número de utentes sem médico de família não cessa de crescer. Em 2007 era de 29.663 tendo aumentado para 32.578 em 2008.

O Hospital de Loures continua a ser uma miragem que decerto o Governo e a Câmara gerida pelo Partido Socialista, continuarão a vender à população.

É de prever que daqui até Outubro, mês em que se disputarão as eleições autárquicas, se venham a somar um cortejo de lançamento de 1ªs, 2ªs e 3ªs pedras, assinaturas de contratos-programa e anúncios de início (previsto) para a construção, com o claro objectivo de ludibriar incautos eleitores.

Este calamitoso estado de coisas resulta da política de redução do investimento público no Serviço Nacional de Saúde, levada a cabo pelo Partido Socialista e da passividade cúmplice e subserviente da maioria socialista que Governa a Câmara Municipal de Loures, que se mostra incapaz de defender os interesses do concelho e dos seus habitantes.

A CDU considera urgente romper com este estado de coisas e implementar uma dinâmica diferente e responsável, que exija o respeito pelo direito a uma saúde igual para todos.

A CDU apela aos eleitores de Loures para que penalizem, através do voto, os responsáveis pela situação a que chegou a saúde no Concelho.