PCP juntou 200 pessoas contra fim do SAP do Centro de Saúde no Cadaval

Como o PCP tem vindo a alertar e apesar da indignação e protestos da população, o Ministério da Saúde decidiu o encerramento do Serviço de Atendimento Permanente no Cadaval, concretizado no passado dia 1 de Novembro.
 
Assim, o Governo PS quer privar a população do Cadaval do serviço de urgência acabando assim o serviço de atendimento permanente definitivamente. Para além disso, haverá uma redução drástica no horário também aos fins de semanas e feriados.
PCP juntou 200 pessoas contra fim do SAP do Centro de Saúde no Cadaval
PS no Governo e PSD na Câmara prejudicam  Cadaval

Como o PCP tem vindo a alertar e apesar da indignação e protestos da população, o Ministério da Saúde decidiu o encerramento do Serviço de Atendimento Permanente no Cadaval, concretizado no passado dia 1 de Novembro.
 
Assim, o Governo PS quer privar a população do Cadaval do serviço de urgência acabando assim o serviço de atendimento permanente definitivamente. Para além disso, haverá uma redução drástica no horário também aos fins de semanas e feriados.
 
Apesar da mudança do Ministro da Saúde, mais uma vez o Governo PS mostra o seu desprezo pela população do Concelho, e pelo direito à saúde consagrado na Constituição mantendo uma errada opção política e mais séria machadada no serviço de saúde prestado à população, e mais um golpe no Serviço Nacional de Saúde.
 
Assim, o PCP promoveu uma concentração de protesto na noite de 6ª feira, junto à porta do Centro de Saúde do Cadaval. O Protesto, ao qual compareceram cerca de 200 pessoas, foi uma demonstração de repúdio desta decisão bem como um desacordo por a Câmara ter cedido à ARS e desprezado o compromisso eleitoral de mater o SAP aberto 24horas.
 
Apesar do frio, os populares foram-se concentrando a partir das 22 horas e cerca das 24 horas, a população entrou para dentro do Centro de Saúde como protesto e foi a insistência da GNR e ameaça da polícia de intervenção, presente no local, que persuadiu os últimos resistentes era já perto da uma e meia da manhã.
 
Numa breve intervenção aos presentes, Ricardo Miguel chamou a atenção para as contrapartidas serem apenas intenções que ainda não se concretizaram e sublinhou a “ traição” do Presidente da Câmara ao rasgar os compromissos assumidos com a população. Também o Governo PS, mereceu fortes críticas porque, em vez de avançar na construção do Novo Centro de Saúde, acaba com a urgência no Cadaval.
 
O PCP anuncia, desde já, a realização de um abaixo-assinado até 15 de Dezembro para repudiar esta decisão, a intervenção do Grupo Parlamentar do PCP na Assembleia da República, a intervenção nos vários órgãos do Poder Local e uma reunião com o Comando dos Bombeiros Voluntários do Cadaval para avaliar o impacto desta medida.
Convidam-se os senhores e senhoras jornalistas a assistir e divulgar esta nossa nota de imprensa. 
 
Com os melhores cumprimentos

A Comissão Concelhia do PCP do Cadaval