Cadaval, Execução orçamental de 42% é medíocre!

Execução orçamental de 42% é medíocre!
CDU vota contra Prestação de Contas 2006


O Relatório de Contas é mais do que um mero instrumento técnico onde são apresentadas as rubricas orçamentais pois representa a forma como foi gerida a autarquia e indica as principais opções políticas de quem a preside.

Importa desta forma analisar se as principais prioridades incluídas no Orçamento e Plano de Actividades que foi aprovado em Dezembro de 2005, com a abstenção dos eleitos da CDU, foram ou não cumpridas na sua totalidade, ou numa parte substancial, já que elas representam um plano de trabalho e um compromisso para com a população do concelho durante o ano de 2006.
Inicialmente aprovadas pela Assembleia Municipal, sofreram ao longo do exercício 12 Alterações Orçamentais e 3 Revisões que nalguns Objectivos provocaram sensíveis mudanças nas Opções decididas, acabando estas por se constituir como as verdadeiras Opções da gestão autárquica.
Nestes documentos fica clara, mais uma vez, a baixa execução do PPI (42.78%), o que na prática se traduz no adiamento da concretização de investimentos fundamentais ao desenvolvimento do Concelho. Também não é alheio a isto o facto dos sucessivos orçamentos, apresentados com pompa e circunstância, não serem reais, colocando obras e intenções que se sabem não vão ser cumpridas mas que servem na perfeição objectivos eleitorais.

A realização orçamental, tal como as Opções do Plano que lhe dão suporte, acabam por não traduzir objectivos estratégicos de desenvolvimento sustentável do concelho sendo que apenas 38.03% da Despesa Total se destinaram a Investimento.

Também salientamos que as verbas resultantes do IMI continuam a aumentar e a ter um elevado grau de execução, contraindo os argumentos da maioria PSD que teima em manter tão elevadas taxas sobre as famílias cadavalenses.

A verdade é que podemos facilmente constatar que em áreas prioritárias (ambiente, acção social, desenvolvimento económico), a maioria que preside a autarquia não apostou durante o passado ano, apesar de assumir perante o Executivo da Câmara e a Assembleia Municipal de que estas seriam as suas principais opções.

Se para além dos vectores prioritários para o desenvolvimento, analisarmos as acções a implementar, verificamos que a maioria das acções prioritárias que constavam no Orçamento não avançaram: Pavilhão Multiusos, Escola do 1º Ciclo do Vilar, Habitação Social, Planos de Pormenor, Rotunda em Alguber, Arranjo Urbanístico de Casalinho, entre muitos outros exemplos que tiveram uma execução anual de 0 %.

Também é evidente que não existiu vontade política para as pôr em prática as propostas apresentadas pela CDU para o Orçamento e Opções do Plano 2006, pois na sua maioria tiveram uma execução de 0%.

Esta medíocre execução, comprova assim a preocupação que os eleitos da CDU têm manifestado quanto à falta de motivação desta maioria para implementar um rumo que levem o Concelho a um desejável desenvolvimento sustentável.

Face ao anteriormente exposto, e apesar de reconhecermos o trabalho técnico meritório na elaboração do Documento de Prestação de Contas 2006, a falta de ambição e por não nos revermos nesta forma de gestão espelhada neste Relatório de Gestão, os eleitos da CDU votaram contra a Prestação de Contas e Relatório de Gestão para 2006.

A Comissão Coordenadora da CDU do Concelho do Cadaval