CDU Amadora sobre a Estrada Militar da Damaia

Levantamentos devem ser actualizados
Câmara tem nas mãos uma grande responsabilidade
As populações devem ser ouvidas antes de maiores problemas sociais


No dia 26 de Janeiro, a Câmara Municipal da Amadora deu início a uma série de demolições de casas (pelo menos 16 já foram demolidas, mas a CMA diz que vai continuar essa operação). Tudo indica que estão incluídas no programa de demolições casas habitadas por pessoas que não têm outras saídas de vida para habitarem. Estas situações são sempre muito dolorosas do ponto de vista social. Na fase de preparação destas acções de demolição, a Câmara cometeu graves erros e continua a cometê-los, se não arrepiar caminho rapidamente. As populações devem ser ouvidas e o levantamento actualizado.
 
PS da Amadora e CMA: muita parra e pouca uva

A Câmara da Amadora e o Partido Socialista, em matéria de realojamento e de requalificação urbana, deixam muito a desejar: «Muita parra e pouca uva». Fizeram tanta publicidade em relação à Cova da Moura há uns meses com a apresentação de um projecto no D. João V, fechado para a população mas que só abre para propaganda.
 
Estiveram presentes nessa sessão de descarada propaganda partidária várias figuras do Estado e da Câmara.
 
Ali foi então apresentado um grande projecto… mas, ao fim de pouco tempo, o Presidente da Câmara da Amadora, Joaquim Raposo, começou logo a questionar o projecto e a entrar em conflito com o Governo.
 
Posição da CDU em defesa das populações

A CDU exige:
 
1. Que os moradores da Estrada Militar sejam ouvidos.
 
2. Que as soluções encontradas pela Câmara sejam discutidas com os moradores.
 
3. Que se encontrem soluções para o realojamento destes moradores entre a Câmara e o Governo.

A CDU exige que a câmara actualize o PER (Programa Especial de Realojamento) feito a 12 anos, que a câmara diga quais as suas ideias e projectos para aquele local e quais as soluções que tem para os moradores.

A CDU está, como sempre esteve, ao lado das populações na defesa da qualidade de vida e do direito à Habitação.

A CDU apela às populações para que continuem e não desistam de lutar pelos seus direitos de habitação.

Amadora, Março de 2007