Destruição da Associação Académica da Amadora

A CDU-Concelho da Amadora em comunicado denuncia que foi dado "mais um passo para a destruição da Associação Académica da Amadora com a alienação de partes do património desta histórica colectividade que muito prestigiou a cidade da Amadora. Agora foram vendidas viatura, mesas e cadeiras. Amanhã serão os dois pavilhões desportivos que, não sendo recuperados para a prática desportiva, mais cedo ou mais tarde se transformarão em verdadeiras peças arqueológicas de uma passado desportivo que promoveu o nome da Amadora no panorama nacional e internacional."

DESTRUIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA AMADORA

Ontem, dia 26 de Novembro de 2014, foi dado mais um passo para a destruição da Associação Académica da Amadora com a alienação de partes do património desta histórica colectividade que muito prestigiou a cidade da Amadora. Agora foram vendidas viatura, mesas e cadeiras. Amanhã serão os dois pavilhões desportivos que, não sendo recuperados para a prática desportiva, mais cedo ou mais tarde se transformarão em verdadeiras peças arqueológicas de uma passado desportivo que promoveu o nome da Amadora no panorama nacional e internacional.
Fruto do desvirtuamento dos princípios do associativismo popular que estiveram na sua origem, a Associação Académica da Amadora é mais uma colectividade que fecha as portas, criando um grande vazio no panorama desportivo do concelho.
A CDU desde sempre defendeu a importância fundamental de uma política municipal de promoção e apoio ao associativismo popular, conjugando-o com uma intervenção atenta e exigente tanto no campo recreativo, como cultural e desportivo. Foi em defesa dessa visão que foram desenhadas e postas em prática as políticas de apoio às colectividades durante os mandatos em que a CDU foi maioritária nos órgãos municipais.
Foi também em defesa dessa visão política do reconhecimento de que a promoção e apoio ao desporto, consubstanciado na criação de condições para a prática desportiva, é uma das competências e obrigações das autarquias na prossecução de interesses próprios, comuns e específicos das populações respectivas que, na sessão de câmara do passado dia 19 do corrente mês, os vereadores da CDU propuseram que a Câmara Municipal da Amadora encetasse todos os esforços para adquirir os pavilhões da Associação Académica da Amadora, que iriam ser leiloados.
A proposta da CDU visava a incorporação no património municipal de um equipamento desportivo da maior importância, quer no que se refere à continuidade da formação desportiva da juventude amadorense, quer no que se refere ao valor simbólico desse património.
Tratou-se de uma proposta que, não escamoteando o esforço financeiro necessário à aquisição dos pavilhões e sua posterior reabilitação, valorizava a sua importância histórica para a cidade e, em particular, o seu potencial na defesa de uma cultura desportiva dirigida à formação dos mais jovens e assente em valores de solidariedade, colaboração e interajuda.
A prossecução de tais valores seria a forma de assegurar a gestão partilhada dos pavilhões entre as colectividades em actividade no município, permitindo ultrapassar a questão a que a maioria do executivo se agarrou para chumbar a proposta: uma alegada incapacidade da câmara de gerir os pavilhões, por insuficiência de pessoal da Câmara Municipal da Amadora.
Num processo com algumas semelhanças, já antes os amadorenses tinham assistido ao definhamento e posterior encerramento do Estrela da Amadora. E depois destes dois emblemáticos clubes desportivos, que tanto deram à cidade e ao município, quer em termos da formação desportiva dos jovens, quer em termos da promoção da imagem da Amadora a nível nacional e internacional, a situação difícil em que se encontra o Clube de Natação da Amadora é também motivo de grande preocupação para todos quantos vivem e sentem a cidade como sua.
Atenta a esta forma de desresponsabilização do município, com que a actual maioria encara a contínua degradação do parque desportivo edificado na Amadora, a CDU tem que declarar a mais profunda consternação com a decisão tomada pelo PS de deixar degradar os pavilhões da AAA, seguindo o triste exemplo do que se passa com o complexo desportivo do Estrela da Amadora.

27 de Novembro de 2014