Para os trabalhadores da Amadora, 2014 é ano de resistência e luta!

Em comunicado a Direcção do Sector de Empresas do Concelho da Amadora apela à luta dos trabalhadores para a derrota de um governo PSD/CDS-PP que rouba milhões de euros aos trabalhadores "canalizados para o grande capital, por via dos juros da dívida pública, das parcerias público-privadas, privatizações, dos contratos SWAP e de outros contratos ruinosos celebrados com interesses privados, dos privilégios e benefícios fiscais dados ao grande capital, dos apoios directos à recapitalização da banca, ou das garantias dadas ao sector financeiro."

 

COMUNICADO AOS TRABALHADORES

DO CONCELHO DA AMADORA

O ano de 2014 iniciou-se com a suposta luz ao fundo do túnel do relógio decrescente oriundo do congresso da Juventude Popular (CDS). Dizem que é o ano da retoma, que Portugal finalmente vai sair da crise e que os Portugueses têm razão para festejar.


Estranha-se portanto que o Orçamento de Estado do governo PSD/CDS para este ano fale em cortes nos salários, nas pensões e reformas, nas prestações sociais, no Serviço Nacional de Saúde, na Escola Pública, nos serviços públicos, na justiça, na cultura e no Poder Local. Perfazendo mais de 4,4 milhões de Euros em “austeridade”. É questão para perguntar como é que a economia portuguesa é retomada se o motor da mesma (a população trabalhadora) se encontra na miséria e sem possibilidade de consumo.


A luz no fundo do túnel realmente existe, sim, mas para quem nos rouba todos os dias. Os milhares de milhões de euros canalizados para o grande capital, por via dos juros da dívida pública, das parcerias público-privadas, privatizações, dos contratos SWAP e de outros contratos ruinosos celebrados com interesses privados, dos privilégios e benefícios fiscais dados ao grande capital, dos apoios directos à recapitalização da banca, ou das garantias dadas ao sector financeiro.


Ou seja, uma luz ao fundo do túnel que pretende, apenas e só, fazer com que a burguesia saia da crise com novo ciclo de acumulação, tendo os trabalhadores menos salários e menos condições (mas mais razões) para lutar.


Este ano em que se comemora os 80 anos da Greve Geral contra o fascismo, que ficou marcada pelo cariz insurreccional que tomou em alguns pontos do País (sendo a Marinha Grande o mais ilustre exemplo disso), o ano em que se comemora os 40 anos da revolução de Abril, que permitiu avanços e passos de gigante na qualidade de vida da população portuguesa por via da conquista de direitos, tem também de ser o ano em que milhares de trabalhadores terão de acordar para o reforço da Luta nas empresas e locais de trabalho e para o reforço do seu Partido de Classe, pois só assim se poderá dar resposta à ofensiva que o capital e os seus sabujos têm em curso.

---

O Concelho da Amadora é um dos concelhos com a maior taxa de desemprego da área metropolitana de Lisboa, é um dos concelhos em que é mais evidente a diferença entre ricos e pobres e um dos concelhos do país que mais perdeu com a destruição da produção nacional.