A situação na Associação Académica da Amadora

O PCP da Amadora tomou um posição pública sobre a situação na Associação Académica da Amadora, cujas anteriores direcções (onde o PS asumiu particulares responsabilidades através de um seu Vereador) afundaram numa gigantesca crise financeira.
A situação na Associação Académica
Ou: novas malfeitorias do PS/ Amadora

 
A Comissão Concelhia da Amadora do PCP teve conhecimento da marcação de uma Assembleia-Geral da Associação Académica da Amadora (AAA), cuja ordem de trabalhos é, no mínimo, estranha: os pontos dessa OT vão da discussão de venda de património à própria insolvência da Associação.
 
Tudo isto, devido à gestão ruinosa das últimas direcções, todas com uma característica: são sempre presididas e orientadas por gente do PS ligada à autarquia.
 
A AAA é uma agremiação local que sempre foi muito prestigiada. Mas desde que estes senhores tomaram conta da Casa, o descalabro foi-se acentuando de ano para ano. 
 
Perante a situação que actualmente está colocada aos sócios desta prestigiada instituição, é o momento de colocar algumas questões que saltam à vista.

1.
 
Tanto quando é dado saber, a Direcção que foi presidida José Evangelista demitiu-se, deixando em dívida verbas superiores a 1 milhão de euros.
 
Diga-se que, naquela altura, este senhor era Vereador do PS na Câmara Municipal da Amadora.
 
Actualmente, é Deputado do PS na Assembleia Municipal e membro do Conselho de Administração dos SMAS-Oeiras/Amadora, nomeado pela Câmara Municipal.

2.
 
Na AAA, a Comissão Administrativa que foi eleita para preparar eleições propôs-se tentar resolver a situação.

Mas isso não se apresentou fácil, devido aos problemas herdados da referida Direcção presidida pelo Sr. José Evangelista.

Diga-se, ainda, que o Coordenador da Ginástica, Sr. Lagoas, que por acaso é Vereador substituto do PS na Câmara da Amadora, saltou do barco porque já não havia dinheiro.
 
Entretanto, formou um clube que tenta agora fazer acordos com as Juntas de Freguesia e outras instituições do Concelho.                                                 

3.
 
A Câmara Municipal da Amadora retirou da prática desportiva da Associação Académica da Amadora cerca de 700 alunos (cerca de 750 mil euros ano).
 
São alunos de escolas do Concelho, com quem tinha um protocolo. Trata-se de uma decisão, no mínimo, estranha.

Com estes actos, que lesam a Associação, vão-se acumulando as dívidas aos trabalhadores, à segurança social, às finanças e até ao BES por causa de uma letra de 250 mil euros.
 
A propósito, os sócios e a população utente tem o direito de ser informada e de exigir saber se esses 250 mil euros realmente entraram nos cofres da Associação e qual foi o seu destino.

A situação é cada vez mais grave!


A gravidade do que se passa está à vista. E as consequências podem ser um desastre para a prestigiada AAA.
 
A sede social, localizada numa zona nobre da cidade, que pode ser vendida por bom preço, caso ainda seja pertença da Associação.

Existe aqui, no mínimo, má gestão continuada (se não caso de policia). Por isso, dada situação agora criada, deveria ser verificada a actividade relativamente aos últimos anos de gestão da direcção presidida pelo sr. Evangelista e apoiada, a todos os níveis, pelo Coordenador sr. Lagoas, para apurar todas as responsabilidades criadas à AAA.
 
É o único caminho que a presente direcção interina tem para trilhar e não ficar chamuscada por uma situação com a qual nada tem a ver.

Vários sócios, em Assembleia-Geral, colocaram aos actuais corpos gerentes (Direcção e Conselho Fiscal) a proposta de que se faça uma auditoria. Estranhamente, até hoje o Presidente do Conselho Fiscal não se pronunciou sobre o pedido.

Até ao momento, só a Direcção e a Mesa da Assembleia-Geral se pronunciaram de uma forma favorável ao pedido de auditoria.
 
A auditoria impõe-se no sentido de explicar aos sócios a situação e os culpados da mesma.
 
Que motivos pode haver para não a fazer?

As responsabilidades do PS/Amadora

Mais uma vez, destacados quadros do PS/Amadora, em parceria com a CMA, da qual faziam e ainda fazem parte e em posições de destaque, dão exemplos de pouca transparência de processos na gestão de uma Associação.
 
Ou será que é do interesse do PS/Amadora deixar fechar uma colectividade histórica do Concelho, com créditos firmados em várias modalidades?
 
Estarão em causa os terrenos onde estão instalados os pavilhões da AAA, tendo em conta os projectos de construção para a zona do Estrela da Amadora e envolventes, processo que veio a lume há uns anos e que, com certeza, se mantém em banho-maria?

O PCP esta solidário com quem quer o bem da Associação e espera que tudo seja feito para que Associação Académica da Amadora saia desta situação e volte a ter os êxitos que tantas alegrias e prestígio deram aos Sócios e ao Município da Amadora.