Grupo Mello beneficia da inércia propositada do ministério da Saúde

Mais um crime do Governo contra a saúde Pública! Claro que não foi por esquecimento que não houve concurso público a tempo e horas – e agora o ministro diz que vai prolongar o contrato de gestão… Mais um crime contra a coisa pública.

Hospital Prof. Fernando da Fonseca / / Amadora-Sintra

Grupo Mello beneficia da inércia propositada do ministério da Saúde

PS-Amadora votou contra uma moção do PCP em defesa do Serviço Nacional de Saúde.
PSD e CDS também votaram contra



Na Amadora, o PS não gosta do Serviço Nacional de Saúde. É o que se deduz do facto de ter votado contra uma Moção em defesa do SNS agora apresentada pelo PCP. CDS e PSD, claro, também votaram contra a mesma moção.
O PS da Amadora faz assim coro com as piores decisões do Governo Sócrates, cujo ministro da Saúde dá provas todos os dias de uma enorme «vontade de liquidar o serviço público de saúde. Temia-se exactamente o que aconteceu.

O famigerado contrato de gestão que beneficiou o Grupo Mello expira no final de 2007, pelo que devia já ter sido lançado no início deste ano um concurso público para nova atribuição da gestão – no quadro da errada decisão de negar que a gestão pública tem todas as vantagens para o Estado e para os utentes. 
Conclusão: o ministro não encontra outra solução que não seja a de prorrogar o contrato com o Grupo Mello.

Assim, o Hospital Amadora-Sintra nem sequer vai a concurso: vai ficar na gestão do Grupo Mello por mais uns anos, sem qualquer mérito, sem qualquer concurso público ou outro, sem o esforço de boa gestão avaliada, sequer. Pelo contrário, o Grupo Mello beneficia assim da mera situação de inacção do ministro, que, de forma criminosa contra o erário público, contra a boa gestão da coisa pública, simplesmente se fez esquecido – como lhe convinha e sempre demonstrou – e não lançou o concurso público a tempo e horas para se entregar a gestão a outra empresa. Já era mau que assim fosse, sem sequer considerar o que deve ser feito, ou seja: devolver a gestão do Amadora-Sintra à gestão do Estado, como devia ter sido sempre.
Mas assim… entregar a gestão ao mesmo Grupo Mello, por mera continuidade do contrato, sem ao menos avaliar a gestão e sem que haja um mínimo de dignidade mas sim toda a subserviência… é uma situação completamente ilegal e até de falta de profissionalismo, falta de seriedade.
 
Como é que um ministro se pode «esquecer» de lançar um concurso a tempo e horas?
Só num Governo já sem qualquer vergonha é que isto é possível.

O PCP denuncia estes factos, exige o apuramento de responsabilidades e continua a reclamar que a gestão do Hospital Prof. Fernando da Fonsca / 
/ Amadora-Sintra regresse ao Estado.
______________________________

Recordemos que…
Já no princípio de 2007 houve outra situação negativa
O PS propôs e a Câmara aprovou que o Município adquirisse acções do Grupo Mello Saúde…
Na altura, claro, a CDU votou contra, em defesa dos utentes do Hospital. Já na altura a CDU alertava que o Hospital estava a ser usado pelo Grupo Mello para aliciar as câmaras da Amadora e de Sintra, de modo a aliarem-se àquele poderoso Grupo económico privado para garantir que a gestão do Hospital continuasse a ser-lhe confiada.
E, de facto, a CDU tinha razão: aí está agora mais um truque para garantir isso mesmo: o favorecimento do Grupo Mello Saúde.

Amadora, 16 de Outubro de 2007