Amadora: CRIL, Eléctricos e Negociatas!

Populações concentraram-se na CMA contra opção do Governo para a CRIL

A CDU manifesta novamente a sua solidariedade para com as populações afectadas pela solução do Governo apoiado pela Câmara para o último troço da CRIL

Moradores contra a solução adoptada para o troço de conclusão da CRIL manifestaram-se às portas da Câmara Municipal da Amadora, em protesto contra o Governo e contra a CMA que apoia a solução do Governo.
 
Foi um protesto legítimo e a CDU manifesta mais uma vez total solidariedade para com estas populações.

Nem de propósito, e em acção de propaganda para desviar as atenções, o PS na CMA «inventou de repente» essa outra sugestão de um eléctrico rápido Odivelas / Amadora, quando bem recentemente tinha votado contra proposta do PCP na Assembleia da Republica de que um eléctrico ligasse Algés à Amadora e a Loures.

A maioria PS na Câmara da Amadora pretende assim fazer mais um número. Uma manobra de diversão. Pretende desviar a atenção do essencial e criar uma barragem de barulho em torno de uma miragem. Ou melhor: em torno de uma mentira. Pois se o Orçamento do Estado não prevê nada nesta matéria!!! E se neste momento nada está em cima da mesa para discussão do Orçamento do ano que vem…!

Eléctrico rápido Odivelas / Amadora é uma deriva mal amanhada para desviar as atenções

Pior: então o PS votou contra, quando o PCP propôs essa solução extensível até Loures e até Algés para ser incluída no PIDDAC – e vem agora com desplante e a despropósito, fazer como se tomasse a iniciativa… Truques de circo, é o que é.

Outra questão séria, se a proposta fosse séria: como explicar, em termos de defesa dos interesses das populações, que o PS não defenda a extensão para Algés e para Loures? Será que o interesse privado se sobrepõe ao publico.

Mais: se o PS da Amadora quisesse de facto resolver problemas bem concretos e bem reais da Cidade e Município da Amadora, então teria votado há uns meses contra a Lei das Finanças Locais do seu Governo. E mais: teria aprovado as propostas do PCP para que o PIDDAC previsse para este ano investimentos que bem necessários são na Cidade.

Mas não.

O que o PS pretende agora é simular que se interessa muito pelas populações e – já que está na moda e se vêem eléctricos rápidos, metros de superfície e outros meios de transporte urbanos em tantas cidades por esse país fora – a última das quais foi a de Almada –, então, por que não lançar a meio do ano, quando não está no horizonte qualquer debate sério em matéria de Orçamento do Estado, lançar agora a questão de um eléctrico rápido…? Maneiras de entreter as pessoas e os jornais em especial.

O PS tem de prestar contas pela forma como tem lidado com esta questão da conclusão da CRIL…


Mas a CDU e o PCP não podem deixar de exigir do PS que preste contas em matéria de construção do último troço da CRIL.

Se o PS da Amadora quisesse realmente defender os interesses dos moradores da Amadora e das regiões envolventes, não se enredava nesta solução adoptada pelo Governo PS para a conclusão da CRIL. Uma solução que vem ao arrepio de qualquer bom senso, que prejudica a qualidade de vida de todos em toda a região onde vai passar este último troço da CRIL.
 
Mas não: aí o PS segue fielmente as opções do Governo e, numa matéria bem, concreta em que podia mostrar de que lado está, mostra bem que está do lado errado.

Neste quadro, pergunta-se com toda a legitimidade:

Será que esta proposta de troço final da CRIL e o Eléctrico rápido é assim concebido porque é necessário haver acessibilidades ao maior centro comercial da Península Ibérica?


Amadora, 18 de Maio de 2007