CDU Olivais protesta consequências de obras inacabadas

 

No passado mês Fevereiro, no dia em que os ventos sopraram mais forte, tivemos, nos Olivais, o trânsito interrompido, desde o fim da tarde até às 10 horas do dia seguinte, nos cruzamentos das Ruas Cidade N. Redondo – Cidade de Bissau – Cidade de Bolama.
Tudo isto por causa de uma torre de grua dos prédios que continuam por acabar há anos, oferecendo um espectáculo degradante na zona.


Por causa da tal grua, que permanece sem justificação aparente, estiveram mobilizados toda a noite e durante cerca de 15 horas, 3 carros da polícia e os agentes respectivos, e durante várias horas um carro de bombeiros com vários homens.

 


Porque a protecção civil só chegou ao local já passava das 9 horas da manhã, a libertação das ruas ao trânsito só aconteceu por volta das 10 horas, o que originou uma enorme confusão no intenso trânsito matinal.

 

E quem deve responsabilizar-se pelos inúmeros atrasos e transtornos causados por esta situação?

Desde logo a CML, entidade que tem a obrigação de fiscalizar, e o dono da obra ou o empreiteiro, que têm o dever de não prejudicar terceiros.

 

Há dois anos, a mesma grua esteve prestes a tombar, também pela força do vento, não fosse o alerta de moradores, responsabilizando a CML e a JF pelo que poderia acontecer. Nessa altura, provavelmente por ordens da CML, o dono da obra limitou-se a desmontar a lança da grua, que desde então "descansa" no terraço do edifício.


Apesar de várias vezes alertados para o assunto, os actuais responsáveis da CML lavam as mãos como Pilatos, dizendo que as construções têm licença até 2015 e que não foram eles os responsáveis pela emissão da tal licença.
Mas nós, os moradores, temos de gramar este espectáculo. Será por os interesses em jogo serem superiores às capacidades de decisão dos responsáveis autárquicos?
E a Junta de Freguesia remete o assunto para a CML, sem se preocupar ao menos com o espectáculo degradante numa zona importante da Freguesia, para já não falar do facto de não ter actuado no sentido de impedir que se construísse tanto mamarracho, numa zona inicialmente planeada para Centro Cívico, logo para usufruto de todos.

 

Não podemos permitir que este regabofe continue e na próxima oportunidade apresentaremos o nosso protesto junto dos órgãos autárquicos (CML e JF).

 

CDU Olivais | Folha Informativa - Março 2014