Marvila: O desemprego não é "culpa" dos desempregados!

A Comissão de Freguesia de Marvila do PCP, expressa o seu repúdio pelas afirmações proferidas pelo Presidente da Junta de Marvila, Sr. Belarmino Silva (PS), ao declarar à Agencia Lusa que «uma faixa significativa da população de Marvila não quer trabalhar». O PCP em Marvila considera que esta e outras declarações deste senhor vindas a público significam realmente «pobreza de espírito» não da população de Marvila mas sim do Presidente da Junta, bem como a sua arrogância perante aqueles que o elegeram.
NOTA Á IMPRENSA

Lisboa, 28 de Fevereiro de 2008

As conclusões do relatório do Observatório de Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa, recém-publicado, merecem uma análise mais atenta que, dada a exiguidade do tempo decorrido após a sua apresentação, ainda não foi possível completar.

No entanto a Comissão de Freguesia de Marvila do PCP, salvaguardando posteriores apreciações sobre o mesmo, não pode deixar de declarar o seu repúdio pelas afirmações proferidas pelo Presidente da Junta de Marvila, Sr. Belarmino Silva, ao declarar à Agencia Lusa que «uma faixa significativa da população de Marvila não quer trabalhar».

O PCP em Marvila considera que esta e outras declarações deste senhor vindas a publico significam realmente «pobreza de espírito» não da população de Marvila mas sim do Presidente da Junta, bem como a sua arrogância perante aqueles que o elegeram.

Revelam ainda claramente o profundo desconhecimento que o Sr. Belarmino Silva e o seu PS têm em relação aos Marvilenses.

Tal como o estudo revela, Marvila possuía em 2001 a segunda maior taxa de desemprego de Lisboa e em 2006 era a freguesia com maior número de beneficiários dos subsídios de desemprego. Ou seja, reflecte-se nesta freguesia com particular incidência a desastrosa politica de Direita dos sucessivos governos do PS e do PSD no que respeita ao direito ao trabalho e à destruição do aparelho produtivo nacional.

Acresce ainda que, de acordo com o referido relatório, a maior parte da população tem como principal meio de vida o trabalho e apenas um pequeno número (339) sobrevivia com base no Rendimento Mínimo Garantido.

Ao Presidente da Junta cabe melhorar as condições de vida da população da sua Freguesia e não proferir declarações tentando transferir as suas responsabilidades para terceiros.
Cabe-lhe exigir da Câmara Municipal e do Governo e não cruzar os braços e baixar a cabeça perante as ordens do seu Partido, que neste momento detêm o poder em todos estes órgãos.

A Comissão de Freguesia de Marvila do PCP entende que o Sr. Belarmino Silva deveria em primeiro lugar apresentar desculpas públicas aos moradores de Marvila e, de seguida, procurar cumprir as suas promessas eleitorais, já que em cerca de dois anos de mandato não executou qualquer delas.


Comissão de Freguesia de Marvila do Partido Comunista Português