Sintra apresenta Lino Paulo como mandatário concelhio da CDU

20526158 1365948733521707 5935097353361657637 nLino Paulo

69 anos. Natural de Sintra. Residente em Massamá.

Participou na oposição ao regime fascista. Foi dirigente do movimento associativo estudantil e da Comissão Democrática Eleitoral (CDE) de Lisboa. Sociólogo, trabalhou em estudos de mercado na área do turismo. Deu aulas no ensino liceal privado e, após o 25 de Abril, foi responsável pela regência da cadeira de Metodologia das Ciências Sociais no ISCSP. Após 1976 dedicou-se exclusivamente à área do poder local. 

A cumprir serviço militar obrigatório, aquando do 25 de Abril, foi nomeado oficial de segurança da Comissão de Extinção da PIDE-DGS.

Em maio de 1974 foi nomeado para a Comissão Democrática Administrativa da Câmara Municipal de Sintra, na qual, em janeiro do ano seguinte, assumiu o cargo de vice-presidente.

De janeiro de 1977, após as primeiras eleições autárquicas, a dezembro de 2001 foi vereador na Câmara Municipal de Sintra. Nos mandatos em que a CDU assumiu pelouros:

1986-1989. Foi responsável pela reabilitação de áreas urbanas de génese ilegal, pela reabilitação de centros históricos, dirigindo nesta área o lançamento da candidatura de Sintra a Património Mundial, pelos programas de habitação social, desenvolvendo a autoconstrução, a construção de custos controlados e um forte apoio ao movimento cooperativo habitacional, e pela área de atividades económicas, abastecimento público e defesa do consumidor.

1988. Propôs e dirigiu a criação da Escola de Recuperação do Património de Sintra.

1989-1990. Propôs e dirigiu a criação e primeira instalação da Trienal de Arquitetura de Sintra.

1990-1993. Responsável pelos programas de habitação social, lançando em 1993 o programa PER, integrando-o num vasto universo de apoio social e de construção de equipamentos e infraestruturas em ´zonas de declarada exclusão social. Responsável ainda pela área de actividades económicas, abastecimento público e defesa do consumidor.

1992-1993. Em representação do município de Sintra, assumiu a Presidência do Conselho de Administração da AMAGÁS – Associação de Municípios para a Instalação de Redes de Gás Natural.

1994-1997. Responsável pela reabilitação de áreas urbanas de génese ilegal e pelos programas de habitação social.

1996-1997. Responsável pela implantação, na área do município de Sintra, do programa comunitário “Intervenção Operacional de Requalificação Urbana”.

Entre 1977 e 1985, assumiu funções de direcção técnica na Câmara Municipal do Seixal, onde foi responsável pela instalação e dirigiu o Serviço Municipal de Habitação. Responsável, entre outros programas, pela conclusão de bairros do processo SAAL, pela implementação de Contratos de Desenvolvimento para a Habitação e pelo realojamento de desalojados das antigas Colónias (C.A.R.). Paralelamente colaborou na área de reabilitação de bairros de génese ilegal.

Foi deputado à Assembleia da República, durante a II Legislatura.

Entre 2002-2003 e 2010-2013 foi eleito na Assembleia Municipal de Sintra e na Assembleia Metropolitana de Lisboa.

Foi distinguido com a medalha de ouro do município de Sintra.

É membro do colectivo da Revista Poder Local.

É militante do Partido Comunista Português, integrando a Comissão Concelhia de Sintra, a Comissão Nacional de Autarquias e o Gabinete Técnico para Autarquias Locais.


Sobre as listas da CDU às Freguesias e orgãos Municipais do Concelho:

As listas da candidatura às autarquias de Sintra que se apresentam no dia 1 de Agosto traduzem um amplo processo de contactos com todos os que se identificam com o projecto de Trabalho, Honestidade e Competência que a CDU corporiza. Para o levar a cabo, assumem um compromisso com a população do município de Sintra um total de 390 candidatos, das mais diversas origens geográficas, profissionais e outras, com experiências distintas, mas com o mesmo objectivo, melhorar a vida dos que vivem e trabalham em Sintra.

Dos 390 candidatos que se apresentam às 11 assembleias de freguesia, à Assembleia Municipal e à Câmara Municipal de Sintra mais de 100 (106) são independentes sem filiação partidária.

Na candidatura às 11 assembleias de freguesia do município de Sintra apresentam-se um total de 327 candidatos, com uma percentagem de independentes sem filiação partidária de 31% e uma percentagem de mulheres de 41%. A média etária destes candidatos é de 51 anos, e o equilíbrio entre o rejuvenescimento das candidaturas à apresentar e a experiência de trabalho junto das populações traduz-se no facto de, dos 11 cabeças de lista 7 serem-no pela primeira vez.

Relativamente aos candidatos que se apresentam à Câmara e Assembleia Municipais, a percentagem de mulheres é de 36% para a Assembleia e de 55%, mais de metade, para a CMS, para estes dois órgãos os candidatos sem filiação partidária são, respectivamente, 13 e 9%. A média etária dos candidatos à CMS e à AMS é de 45 anos.

São estes os homens, mulheres e jovens que irão construir em Sintra a Certeza da Mudança!