Audição Parlamentar «Prioridade à segurança e fiabilidade na operação ferroviária»

20170306 audicaoferroviariosNa Audição realizada dia 6 de Março participaram as Comissões de Trabalhadores da CP, da Medway (ex-CP Carga) e da IP, bem como um vasto conjunto de Sindicatos: FECTRANS, SNTSF, SMAQ, SFRCI, APROFER, SINAFE. Ficou patente que a segurança e fiabilidade da operação ferroviária deixou de ser há largos anos uma verdadeira prioridade para o poder político, substituída por preocupações economicistas que dão prioridade à mercantilização do transporte e à criação de condições para o aumento de lucros para o capital privado. O PCP assumiu o compromisso de avançar com iniciativas concretas nesta matéria, seja em torno do processo de alteração do RGS (Regulamento Geral de Segurança, onde pretendem levar a tripulação mínima a um trabalhador por comboio), seja combatendo a extinção do Gabinete de Investigação de Segurança e de Acidentes Ferroviários (GISAF) e a fusão da REFER com as Estradas de Portugal, seja combatendo a desertificação das estações e o desinvestimento no material circulante e na infraestrutura, seja em torno das múltiplas questões trazidas à Audição e que merecem ser tratadas.

Mais um sector estratégico em risco na Ferrovia: a Unidade de Inovação e Desenvolvimento da EMEF

quadradoemefuidQuando em 2012 o Governo alienou a Unidade de Investigação e Desenvolvimento da EMEF, vendendo-a em 65% à multinacional NOMAD Digital, o PCP alertou para os perigos que essa venda comportava para a CP, para a EMEF e para a soberania nacional. Face às notícias da venda da própria NOMAD Digital, e dos perigos de encerramento dos projectos em desenvolvimento em Portugal, o PCP questionou o Governo sobre as medidas que pretende tomar para defender a soberania e o aparelho produtivo nacional.

Ler Requerimento em PDF

Multinacional MSC tenta passar por cima da legislação nacional!

20161212cpcargaA multinacional MSC está a exigir que os trabalhadores da ex-CP Carga que, à boleia de um Documento sobre Política Anti-Suborno, assinem uma declaração onde declaram aceitar essa «política», como se em Portugal não houvesse leis sobre suborno e corrupção, e como se não houvesse leis sobre os direitos e as obrigações dos trabalhadores. Um comportamento inaceitável, que desrespeita os trabalhadores e o país, e deve ser frontalmente repudiado. Uma hipocrisia vindo de quem acaba de receber de borla a CP Carga com todos os seus 200 milhões de euros de equipamentos. No comunicado, a célula do PCP alerta os ferroviários para as verdadeiras intenções da multinacional.

Ler Comunicado em PDF

Ferrovia: É preciso parar de alimentar gulosos!

O PCP avançou com três questões ao governo sobre situações de favorecimento a privados em prejuízo da ferrovia, dos ferroviários e da segurança operacional. A concessão de uma passagem de nível pela IP, o aluguer pela CP das locomotivas que ofereceu à MSC e o estudo do perdão de mais uma dívida da Fertagus/Barraqueiro.

Ler Requerimento sobre a concessão na IP
Ler Requerimento sobre o aluguer de locomotivas à MSC
Ler Requerimento sobre dívida da Fertagus/Barraqueiro

Contra os despedimentos na EMEF, PCP confronta Governo

precariedadecampanhaFace aos despedimentos que a Administração da EMEF está a patrocinar, o PCP confrontou o Governo com esta sua opção que, além de continuar a revelar um apoio à precariedade que se comprometeu a combater, implicará sérias implicações para os utentes, nomeadamente na Linha de Cascais já tão martirizada pelas erradas opções dos sucessivos governos. O PCP exige a imediata integração na EMEF dos trabalhadores precários que estão a ser despedidos, e que fazem falta todos à operação da empresa.

Ler Requerimento em PDF

Plenário Nacional de trabalhadores em defesa da EMEF

20160915 120405emefRealizou-se hoje um plenário nacional de trabalhadores da EMEF, que exigiu a adopção de medidas urgentes para a empresa, nomeadamente: o fim do recurso a empresas de trabalho tenporário e a prestadores de serviços e a contratação de trabalhadores para a EMEF; a integração da EMEF na CP, acabando com o inferno burocrático que hoje rege a relação entre as duas empresas, ambas essenciais à circulação ferroviária. Os trabalhadores apontaram para o desenvolvimento de lutas em Otubro.

Ler Resolução aprovada

Reforçar a vigilância, a unidade e a luta em defesa da EMEF e da CP

alerta ferroviarioO Sector dos Transportes tornou pública uma posição sobre o recente Acordão do Tribunal de Contas relativo aos contratos - rejeitados há um ano - assinados entre a EMEF e a CP no quadro da tentativa de privatização da primeira. O PCP alerta os ferroviários para o facto deste Acordão estar a ser empolado para utilizar contra a EMEF e a CP, nomeadamente para retomar velhos projectos derrotados há um ano, e sublinha a necessidade de reforçar a vigilância, a unidade e a luta dos ferroviários.

Ler Comunicado em PDF

Três descarrilamentos reforçam alertas do PCP contra o fim do comboio socorro do Barreiro

comboiosocorroO PCP apresentou na Assembleia da República um novo requerimento ao Governo sobre a eliminação do Comboio Socorro do Barreiro, agora reforçado por três descarrilamentos entretanto ocorridos e que confirmam o risco que representa o fim desta medida de segurança. Ao Governo, que ainda não respondeu ao primeiro requerimento apresentado, o PCP solicita o envio dos estudos de risco que fundamentaram esta decisão, consciente que eles ou não existem (o que é grave) ou estão seriamente manipulados (o que seria ainda mais grave).

Ler Requerimento em PDF

PCP aceita convite da FECTRANS para aprofundar conhecimento dos problemas dos trabalhadores da CP na Linha de Sintra

DeputadosLinhaSintraJulho2016O PCP aceitou o convite da FECTRANS/CGTP-IN para uma viagem na linha de Sintra da CP (Foto). A acção destinada a reforçar a sensibilização dos grupos parlamentar para os problemas que enfrentam os ferroviários: falta de segurança, bilheteiras encerradas, máquinas sem manutenção, supressão de comboios. Uma degradação que afecta os utentes mas em primeiro lugar prejudica os trabalhadores. O PCP, único grupo que aceitou o convite, deu conta das iniciativas parlamentares já tomadas em defesa dos ferroviários e comprometeu-se a prosseguir essa acção.

PCP em defesa da Engenharia Ferroviária e do desenvolvimento soberano de Portugal

eng ferrovO PCP apresentou um projecto de resolução na Assembleia da República sobre a decisão do Governo, materializada pela Infraestruturas de Portugal, de encerrar a IP Engenharia, e assumir o projecto de liquidação da engenharia ferroviária, entregando aos grupos económicos nacionais e multinacionais uma valência estratégica para o país, e prosseguindo o caminho desastroso de transformar a Infraestruturas de Portugal numa empresa gestora de concessões, subconcessões e subcontratações.

Ler Projecto de Resolução em PDF