PCP no Parlamento Europeu denuncia repressão sindical na CP

Pedro Guerreiro, Deputado do PCP no Parlamento Europeu, interveio esta segunda-feira em Bruxelas em defesa da liberdade sindical na CP, em mais um sinal da inequívoca solidariedade do PCP com a luta dos trabalhadores da CP em defesa da liberdade sindical e contra as tentativas de repressão executadas pelo CG da CP a mando do Governo. Amanhã, 17 de Dezembro, uma delegação do PCP estará presente na acção de luta promovida pela CT da CP e pelo SNTSF.

Ler Intervenção de Pedro Guerreiro

A tentativa de limitar a liberdade sindical na CP: Não Passará!

O PCP tomou uma firme posição de denúncia perante a nova escalada de ilegalidades na CP, que esta semana instaurou 9 processos disciplinares para despedimento a activistas sindicais pelo facto de terem participado num piquete de greve no passado dia 1 de Outubro. Num Comunicado aos Ferroviários o PCP exige o arquivamento imediato dos processos disciplinares e o fim das limitações ao direito à greve na empresa. Na sequência desta posição, o Grupo Parlamentar do PCP avançou com um requerimento urgente ao Governo.

Ler Comunicado em PDF

Só a luta permitirá defender a CP Carga e os direitos dos seus trabalhadores

O PCP de Lisboa está a distribuir um comunicado aos trabalhadores da CP Carga onde sublinha que perante a subserviência do governo aos interesses privados no sector, a luta é única forma de defender o interesse nacional e os direitos dos trabalhadores.

Ler Comunicado em PDF

Fertágus: Trabalhadores e Utentes, a mesma luta - privatizar foi um erro!

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário realizou este 30 de Outubro uma nova acção de luta em defesa da contratação colectiva na Fertágus. Como bem demonstra a targeta distribuída na iniciativa (pode ler aqui), a concessão aos privados de parte do sector está a ser pior para os trabalhadores, com as empresas a aumentarem a sua exploração, mas é igualmente pior para os utentes, pois pagam 73% mais que pelo mesmo serviço público, apesar dos privados receberem mais indeminizações compensatórias do Estado que os operadores públicos de transportes.

Fim às privatizações do aparelho produtivo!

Perante o agravamento da crise do capitalismo, o Sector dos Transportes da ORL lança. em comunicado, a palavra de ordem de "Fim às privatizações do aparelho produtivo", num momento em que o grande capital e o seu Governo se preparam para prosseguir a entrega de empresas estratégicas aos mesmo a quem acabam de oferecer fundos públicos para tentar evitar o seu colapso.

 Ler Comunicado em PDF

PCP questiona Governo na Assembleia da República sobre acontecimentos no CCO de Braço de Prata

O Grupo Parlamentar do PCP avançou com dois requerimentos ao Governo sobre os acontecimentos no CCO de Braço de Prata durante a greve do passado dia 1 de Outubro. Quer o PCP saber porque respondeu a PSP ao chamamento da Administração quando antes se recusara a intervir chamada pelo Piquete de Greve, e que medidas tomou o Governo perante a falta de segurança ferroviária provocada pela tentativa de esconder os reais efeitos da greve dos trabalhadores da REFER.

Ver Requerimento sobre Intervenção da PSP

 

Ver Requerimento sobre Segurança Ferroviária

Ilegalidades e Insegurança na Circulação Ferroviária em Lisboa

Devido à extraordinária adesão dos trabalhadores no CCO de Braço de Prata, a administração da REFER foi obrigada a recorrer à ilegalidade, tentando substituir trabalhadores em greve por outros, trazendo trabalhadores externos, colocando chefias a substituir grevistas e colocando trabalhadores em turnos superiores a 10 horas. E isto no local que deveria garantir a segurança da circulação ferroviária!

O piquete de greve chamou a polícia para impedir a continuação destas práticas. Não houve resposta. Passado duas horas a polícia aparecia chamada pela administração.

O piquete de greve, no quadro das suas responsabilidades, cumpriu o seu dever. 

O Sindicato dos Trabalhadores Ferroviários já afirmou que a circulação se está a processar sem as condições exigiveis de segurança, e disso responsabilizou o Governo.

Mais de 80% de adesão à Greve no CCO de Braço de Prata

No CCO de Braço de Prata (REFER) a adesão à greve no turno nocturno é superior a 80%. Com esta adesão, a circulação ferroviária não é possível de realizar-se respeitando as condições de segurança exigíveis.
 

Cumpra-se a Constituição na CP! O Governo é responsável!

O Secretariado da Célula do Sector Ferroviário da DORL está a distribuir um comunicado aos trabalhadores da CP  onde justifica as razões que levaram o PCP a apresentar na Assembleia da República um requerimento ao Governo sobre as reiteradas violações do direito à greve na CP.

Ler Comunicado em PDF  

Ler Requerimento entregue na Assembleia da República 

PCP e trabalhadores resistem ao processo de desmantelamento e privatização da CP

O Processo de separação da CP Carga da CP que o Governo tenta implementar é negativo para o país e para os trabalhadores da Empresa. A não ser travado, vai significar a redução de postos de trabalho, a privatização desta actividade e mais um atraso para o desenvolvimento económico do país. A Coordenadora Nacional do PCP para o Sector Ferroviário fez sair um comunicado aos trabalhadores sobre esta matéria que podes encontrar aqui .