PCP reune com CT da CP e da IP

20190401 102015No dia 1 de Abril, uma delegação do PCP encabeçada por Jerónimo de Sousa reuniu com as CT da EMEF e da CP na sede desta última no quadro das iniciativas do PCP para assinalar o início do alargamento do passe social intermodal. Estas transmitiram ao PCP a urgente necessidade de contratação de novos trabalhadores para que se possa melhorar a oferta de transportes, quer na sua qualidade, repovoando as estações, quer na sua quantidade, aumentando o número de comboios. Ambas as CT alertaram para o facto de 30% da frota da CP Lisboa e 20% da frota do Intercidades estar encostada por atrasos na sua reparação e manutenção, que só se devem à falta de trabalhadores na EMEF. Foram dados ainda outros exemplos, de material do regional encostado pela mesma razão ou de material que poderia ser recuperado para o serviço activo se para tal houvesse vontade de investir. Também com exemplos concretos das dificuldades criadas ao funcionamento das empresas, ambas as CT alertaram para a necessidade de reunificar a CP e a EMEF.

Governo avança com liberalização a mando da UE, PCP contesta e resiste

pap liberalizacaoferroviaO Governo avançou com um Decreto-lei para aprofundar a liberalização da ferrovia, ajoelhando-se às directivas da União Europeia, não defendendo minimamente a soberania nacional, e prosseguindo o caminho de destruição do sector ferroviário nacional que há dezenas de anos PS/PSD/CDS vão protagonizando alternadamente. O PCP apresentou na Assembleia da Republica um pedido de Apreciação Parlamentar ao Decreto-Lei, para impor a sua discussão e tentar corrigir os aspectos mais gravosos.

Ler Pedido de Apreciação Parlamentar em PDF 

Comboios para o Regional não fazem esquecer todas as insuficiências

cp comboios linha alentejo bejaO Governo montou mais uma operação de propaganda, agora em torno do lançamento do concurso para a aquisição de 22 comboios para o srrviço regional da CP. Ocasião para a o PCP recuperar criticas à opção do Governo de impedir a CP de comprar material circulante para o serviço urbano e para o longo curso, os sectores mais rentáveis da CP, e criticar o facto do concurso não assegurar a incorporação nacional nem assegurar que a manutenção é feita pela EMEF. O PCP alerta ainda para o facto dos últimos concursos terem sido sempre lançados antes de um processo eleitoral e cancelados depois delas realizadas.

Ler Nota em PDF

EMEF: Governo avança com nova privatização na ferrovia. PCP apela à luta!

emef privatizavagonsEm vez de arrepiar caminho, o Governo continua na senda da política de direita para a ferrovia. Agora, com a privatização da Unidade de Manutenções de Vagões da EMEF, que vai ser oferecida à multinacional suiça MSC (através de um ACE da «sua» Medway com a EMEF) usando como extraordinário argumento que essa venda é uma inevitabilidade provocada pela oferta a essa mesma multinacional dos mais de 2000 vagons da CP aquando da privatização da CP Carga. O PCP apela à luta contra esta privatização que vai prosseguir o caminho de destruição da ferrovia nacional.

Ler Comunicado em PDF

Que razões justificam a discriminação da IP contra a CP?

rreq ipdiscrimicacpAlguém na IP, a mando do Governo ou do grupo Barraqueiro, aproveita cada greve na IP para discriminar a CP e favorecer a Fertagus. Numa greve na Infraestrutura, numa mesma linha, a IP abre o canal de circulação à Fertagus e fecha-o à CP. Nada do ponto de vista técnico justifica este benefício a uma empresa privada. Sobram as más razões. O PCP exigiu resposta do Governo.

Ler Requerimento em PDF

Em distribuição o Boletim do Sector Ferroviário

bol ferr out 2018Está em distribuição o Boletim do Sector Ferroviário, com artigos sobre: o futuro da EMEF, a compra de material circulante da CP, o fim da PPP da Fertagus e a acção dos deputados do PCP no Parlamento Europeu em defesa da Linha do Oeste.

Ler Boletim em PDF

 

Linha do Oeste: Necessidade Regional e Nacional que não pode continuar a ser adiada.

linhadooeste peOs deputados do PCP no Parlamento Europeu realizaram uma pergunta escrita à Comissão Europeia sobre os apoios à Linha do Oeste, exigindo respostas quer no que respeita à modernização da infraestrutura quer no que respeita ao material circulante.

Ler Pergunta e Resposta em PDF

A segurança ferroviária não pode ser objecto de poupanças!

req caixasquentesEstivemos na eminência de um acidente grave provocado por uma avaria que poderia ter sido detectada atempadamente caso as «caixas quentes» instaladas na infraestrutura continuassem operacionais. Mais uma vez, foram os trabalhadores que conseguiu detectar a tempo a avaria. Mas cabe a pergunta: porque estão desligado equipamentos importantes para a segurança ferroviária.

Ler Requerimento em PDF

Ferroviários e utentes unidos na mesma luta: Por mellhores transportes públicos!

20181003 utentestrabalhadoresferroviariosCentenas de Ferroviários e utentes da ferrovia desfilaram hoje em Lisboa sob o lema «Pôr os Comboios na Linha, para servir a população!». Denunciaram a falta de investimentos na ferrovia, disfarçada atrás de uma barragem de anúncios e promessas. Denunciaram a não contratação dos operacionais necessários a reintroduzir a fiabilidade no sistema. Exigiram go Governo mais actos em defesa do serviço público e menos promessas.

Andam a torturar os utentes da CP para os obrigarem a aceitar as privatizações!

capacascaisNo dia 5 de Agosto, foram aplicados novos cortes à oferta da CP na Linha de Sintra/Azambuja e na Linha de Cascais. Coincidindo com um fim de semana terrível com dezenas de supressões  por todo o país. Em comunicados aos utentes das Linhas de Cascais e de Azambuja/Sintra, o PCP alerta para o facto da actual situação resultar da política realizada pelos sucessivos governos - redução de trabalhadores, não renovação do material circulante, adiamento dos investimentos estratégicos - com o objectivo de degradar de tal forma a ferrovia que os utentes não resistam à transferência para a exploração capitalista dos sectores rentáveis da CP:

Ler Comunicados em PDF para: a Linha de Cascais e para a Linha de Sintra/Azambuja