Sector de Empresas

PCP exige do Governo intervenção imediata para travar comportamento ilegal da work4you

aslave4youO PCP questionou o Governo na Assembleia da República sobre as medidas que estão a ser tomadas para combater as práticas ilegais da empresa Work4you que vende às empresas estagiários, os oferece à experiência por dois dias e os recruta exigindo aos estagiários uma “caução” de 30 euros para os incluir nos seus ficheiros, sem qualquer garantia de reembolso. 

Ler requerimento em PDF

CONTA-FIOS Boletim da Célula do PCP da INCM, SA

incm2012julNós, trabalhadores da INCM, somos a força motora da empresa, tendo-a conduzido aos resultados positivos de milhões de euros de lucro ao longo dos anos. Trabalhadores que temos vindo a ser atacados ciclicamente com imposições travestidas de
propostas, particularmente em relação aos Serviços Sociais. Propostas estas que têm como principal objetivo a diminuição de direitos e tornar os Serviços Sociais mais apetecíveis para as seguradoras num futuro próximo, a que não é alheio o facto de nos quererem impingir as tabelas de plafonamento que vão restringir o direito dos beneficiários.

Ver em PDF

Esteiros: 11 de Dezembro no Centro de Trabalho Vitória

soeiro-pereira-gomes-esteirosIniciativa do Sector de Empresas de Lisboa com a passagem de filme, sessão e convívio que contará com a presença de Luís Fernandes do Comité Central do PCP, no próximo dia 11 de Dezembro pelas 19h30 no Centro de Trabalho Vitória.

Ver em PDF

Podem contar com o PCP! mais votos mais deputados! Mais força para defender os nossos direitos!

Para isso, o PCP intensificará a sua intervenção e acção política a todos os níveis e, apresentaremos, entre outras, no imediato as seguintes iniciativas na Assembleia da República:
• valorização dos salários, nomeadamente
o aumento do salário mínimo nacional
para 600 euros no início de 2016;
• combate à precariedade, designadamente
com alterações à legislação laboral
e a aprovação de um Plano Nacional
de Combate à Precariedade e de valorização
da contratação colectiva;
• reposição dos salários, pensões, feriados
e outros direitos cortados;
• para uma política fiscal justa que tribute
fortemente os grupos económicos e financeiros
e alivie os impostos sobre os trabalhadores;
• pelo reforço e diversificação do
financiamento da Segurança Social e a
garantia dos apoios sociais, designadamente
no abono de família, subsídio de desemprego
e subsídio social de desemprego;
• renegociação da dívida, o controlo público da
banca e o estudo e a preparação de Portugal
para a libertação da submissão ao Euro, bem

 

Ler documento em PDF