Pelo reforço do Serviço Nacional de Saúde

 
lisboa  hospital saojoseO Serviço Nacional de Saúde (SNS) é o grande instrumento de defesa da saúde e da vida dos portugueses e está a comprovar plenamente a sua importância no momento que estamos a atravessar.
 
A moção apresentada pelos vereadores do PCP na CML defendia o reforço do SNS e, em particular, a avaliação e reversão de algumas das medidas que têm sido tomadas contra o SNS.
 
Hoje assistimos já à reabertura de equipamentos de saúde anteriormente encerrados e à criação de hospitais de campanha, de forma a aumentar o número de camas disponíveis. Mas aqueles que nos últimos anos apostaram no desinvestimento no SNS são os mesmo que rejeitam inverter algumas decisões tomadas.
 
Esta proposta foi votada por pontos, com os seguintes resultados:
 
Ponto 1 - A adoção de um programa de reforço urgente do SNS em profissionais, meios e instalações, com particular incidência nos cuidados primários, assegurando o funcionamento das extensões de saúde, e nos serviços de urgência;
Aprovado por unanimidade
 
Ponto 2 - Identificar as carências de médicos, enfermeiros, técnicos de saúde, assistentes técnicos e operacionais, proceder à sua contratação e substituir subcontratações e vínculos precários por contratações com vínculo público efetivo;
Aprovado por unanimidade 
 
Ponto 3 -  Reabrir os vários Serviços de Internamento Hospitalar, entretanto encerrados em alguns hospitais, como acontece na valência de pneumologia do Hospital Pulido Valente;
Rejeitado - com os votos contra do PS, PSD e CDS
 
Ponto 4 - Estudar a possibilidade de reabertura dos hospitais encerrados, permitindo a abertura de muitas camas;
Rejeitado - com os votos contra do PS, CDS e abstenção do PSD
 
Ponto 5 - Reverter o processo de encerramento dos hospitais do Centro Hospitalar de Lisboa Central;
Rejeitado - com os votos contra do PS, CDS, BE e abstenção do PSD 
 
Consulte a Moção 
Pelo reforço do Serviço Nacional de Saúde