A suspensão da Linha Circular é determinante para o projeto de expansão da rede de metro que sirva a população e a cidade de Lisboa

 
MOs vereadores do PCP irão apresentar amanhã uma moção defendendo a suspensão do processo de construção da Linha Circular entre o Cais Sodré e o Campo Grande, devendo ser dada prioridade à expansão da rede de metropolitano para a Zona Ocidental de Lisboa, bem como até Loures.

Depois da Assembleia da República ter aprovado por larguíssima maioria, a suspensão da construção da linha circular,  Comissão Europeia, em resposta a uma pergunta dos deputados do
PCP no Parlamento Europeu, esclareceu que o  país não perderia financiamentos da UE se suspendesse o projeto da linha circular, como determina a Lei do Orçamento de Estado.

A Comissão Europeia reconhece que os 83 milhões de euros alocados ao cofinanciamento do projecto da linha circular do metropolitano de Lisboa podem, por decisão das autoridades portuguesas, ser reafetados a outro  projeto ou projectos, designadamente de expansão da rede, sem perda de verbas, com execução até ao final de 2023.
 
Os vereadores do PCP consideram ser injustificável que o Governo persista na concretização de uma opção errada, pelo que irão defender que se concretize o disposto na Lei do Orçamento do Estado, aproveitando para o efeito os fundos comunitários disponíveis, tal como determina a Comissão Europeia.

Urge  do ponto de vista da mobilidade e das necessidades das populações e da Cidade Lisboa, que seja corrigido este erro.
 
Consulte a moção proposta:
Linha Circular