Regresso da Manutenção do Arvoredo aos serviços da CML – Proposta do PCP rejeitada com os votos contra do PS, PSD e BE

 

espaços verdesOs espaços verdes e árvores de arruamento das principais vias da cidade,constituem um todo no que diz respeito não apenas a aspectos paisagísticos e históricos, mas também do ponto de vista ambiental, com as implicações nos regimes de ventos, modulação das temperaturas e até mesmo retenção de partículas poluentes.

 

A divisão desta gestão em 24 realidades diferentes tem conduzido a situações de gestão deficiente do arvoredo, externalização de

serviços, marginalizando o conhecimento técnico dos serviços do Município e ainda à não observância do protocolo existente com o Laboratório de Patologia Vegetal Veríssimo de Almeida.

 

Têm existido múltiplas queixas das Freguesias em relação à incapacidade logística e financeira para cumprir de forma cabal as competências atribuídas, de que é exemplo mais conhecido, mas não único, o acidente ocorrido no passado dia 23 de Fevereiro, na Avenida da Liberdade.

 

A proposta apresentada pelos vereadores do PCP na CML, chumbada com os votos contra do PS, PSD e BE, defendia que fossem considerados como estruturantes todos os espaços verdes de grande e média dimensão (superior a 0,35 ha), bem como todas as árvores de alinhamento de via, assumindo assim, a CML, a responsabilidade pela manutenção e conservação dos mesmos.

 

Esta é uma das áreas estruturantes para a cidade e para uma política ambiental,de preservação dos espaços verdes e das árvores que deveria ser tratada como um todo de modo a garantir uma estratégia ambiental para toda a cidade.

 

Consulte a proposta:

Manutenção de Grandes Espaços Verdes e Árvores de Alinhamento