O Direito à Cultura na Cidade de Lisboa

Teatro Maria Matos João FerreiraOs vereadores do PCP João Ferreira e Carlos Moura, estiveram ontem num debate organizado pelo PCP, onde recolheram contributos, para a construção de uma nova Política Cultural para a Cidade de Lisboa.

 

Nas costas da população, e ignorando a opinião de muitos, a Câmara Municipal de Lisboa pretende concessionar a privados a gestão do Teatro Municipal Maria Matos, tal como fez recentemente

com o Capitólio.


Para além de a CML se comportar como uma facilitadora de negócios, abdica de instrumentos que devem servir para garantir uma política cultural diversificada e o direito à produção e fruição culturais.

 

Na intervenção final, João Ferreira enfatizou a necessidade de combater o caminho da mercantilização da cultura - que a transforma em produto de consumo fácil com o objectivo do lucro - e de garantir o acesso de todos à cultura, que é também parte importante da garantia do direito à cidade. A concessão a privados do Teatro Maria Matos, equipamento onde houve um forte investimento técnico e financeiro, significa uma desresponsabilização da CML do seu papel, para além de um claro favorecimento a interesses privados. A localização do Maria Matos e a sua ligação a territórios menos centrais da cidade tornam este equipamento um importante instrumento para uma política de disseminação do acesso à cultura.

 

O PCP opõe-se frontalmente a este caminho. Precisamos de uma política cultural municipal em Lisboa que garanta o direito à cultura. O PCP, dando continuidade a toda a intervenção já realizada em defesa da manutenção do teatro Maria Matos na esfera pública, não desistirá desta luta, intervindo pela garantia dos direitos dos trabalhadores deste equipamento, propondo alternativas que o mantenham ao serviço da população e como meio de apoio e promoção da produção cultural e artística.