PS na CML não quer exigir do Governo e da Administração da Caixa Geral de Depósitos o fim dos encerramentos de balcões na cidade de Lisboa.

 

CGD cortePS na CML não quer exigir do Governo e da Administração da Caixa Geral de Depósitos o fim dos encerramentos de balcões na cidade de Lisboa.

 

PS na CML votou contra o ponto 2 da moção apresentada hoje pelos vereadores do PCP.

 

Só a luta pode travar este processo e, nesse sentido, o PCP redobra o apelo para que a população de Lisboa não deixe de se indignar e mobilizar em defesa dos seus direitos e do serviço público bancário na nossa cidade.

 

Consultar aqui a Moção entregue

Reorganização dos Serviços do Município - Retirar o sector operacional da competência da CML

 

cml pracadomunicipioFoi aprovada em reunião da Câmara Municipal de Lisboa, a proposta de Ajustamento à Orgânica do Município, que decorre de uma opção política de restruturação iniciada em 2010, com o objectivo de retirar o sector operacional da competência da CML.

 

Se numa primeira fase, preparou-se a orgânica de acordo com a reforma administrativa, com a passagem de competências para as juntas, com esta nova proposta, passando novas

Continuar...

Lisboa Cinco L – Pelo Direito à Cultura, Pelo Direito à Cidade

 
Feira do Livro 2018Os vereadores e deputados Municipais do PCP na CML/AML, João Ferreira, Calos Moura, Ana Margarida de Carvalho e Modesto Navarro, visitaram na passada semana a Feira do Livro de Lisboa, dando a conhecer a proposta do PCP que será brevemente votada e, a ser aprovada, dará lugar em Lisboa a uma grande celebração da Literatura Portuguesa, à escala internacional e com carácter regular.
Consulte a nossa proposta:

Lisboa Cinco L – Língua, Livros, Literatura, Leituras e Livrarias

 

Vereadores do PCP na Câmara Municipal de Lisboa em defesa da dignidade da pessoa prostituída

 

Intervenção do Vereador do PCP Carlos Moura, a propósito da moção apresentada pelo BE sobre o Trabalho Sexual, reiterando a posição do PCP relativamente à defesa da pessoa prostituída e da sua dignificação. O PCP rejeita qualquer tentativa de regulamentação do negócio da prostituição, brutal violação dos direitos humanos, de exploração da dignidade das mulheres e de transformação do proxeneta em empresário.