Tribuna Pública da Carris denuncia condições de trabalho na Empresa

mini-tpublica.jpgOs dirigentes e delegados do STRUP, os membros da CT e alguns trabalhadores disponíveis participaram nesta Tribuna Pública de denúncia da degradação das condições de trabalho, materializada pela intenção da CML de remoção do quiosque da Estrela, uma instalação de grande utilidade para os trabalhadores se resguardarem das intempéries, disporem da instalação sanitária ali existente, e para tomarem pequenas refeições enquanto aguardam pelas rendições das carreiras 28 e 25 de eléctricos que ali ocorrem. Exigiram da CML e do Conselho de Administração da Carris a preservação desta instalação assim como a criação de condições nos inúmeros locais de rendição, que o C.A. fez proliferar, sem instalações sanitárias e sem condições para aguardar pelas rendições.
TRABALHADORES DA CARRIS EM LUTA CONTRA A DEGRADAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO

Os dirigentes e delegados do STRUP, os membros da CT e alguns trabalhadores disponíveis participaram hoje dia 16/12, numa Tribuna Pública de denúncia da degradação das condições de trabalho, materializada pela intenção da CML de remoção do quiosque da Estrela, uma instalação de grande utilidade para os trabalhadores se resguardarem das intempéries, disporem da instalação sanitária ali existente, bem como para tomarem pequenas refeições enquanto aguardam pelas rendições das carreiras 28 e 25 de eléctricos que ali ocorrem.

Participaram nesta iniciativa cerca de 40 trabalhadores, que exigiram da CML e do Conselho de Administração da Carris a preservação desta instalação assim como a criação de condições nos inúmeros locais de rendição, que o C.A. fez proliferar, sem instalações sanitárias e sem condições para aguardar pelas rendições.

A CML, cujo presidente ainda não respondeu ao pedido de reunião efectuado pela estrutura sindical da CGTP na empresa, o STRUP, fez deslocar para o local da Tribuna, uma equipa para proceder ao arranjo do pavimento, que há meses aguarda reparação, mas que diligentemente a CML entendeu ser o dia desta iniciativa, o ideal para proceder a estas obras, fazendo com que as rendições de eléctricos que se efectuavam neste local, fossem deslocadas para C. Ourique, tentando assim comprometer a realização da Tribuna.

Não o conseguiu e os trabalhadores presentes decidiram continuar a luta, através de outras acções, que por certo não deixarão de confrontar o poder político com vista a serem encontradas soluções de fundo para a resolução destes problemas.