Campolide: Bela Flor um bairro ao abandono

BelaFlorNa sequência da visita dos eleitos do PCP ao Bairro da Bela Flor, em Campolide, foram apresentados pelos moradores diversas queixas referentes às condições de vida no bairro.
Os Vereadores apresentaram em requerimento as carências da população e reclamaram uma intervenção eficaz da CML, mas até agora, passado um mês inteiro, nada aconteceu.

Queixas da população
Na visita, os Vereadores verificaram a necessidade de demolição das casas, há muito devolutas, situadas na Calçada dos Sete Moinhos e Baltazar e que se vêm tornando alvo de ocupação por imigrantes ilegais, sem contudo possuírem condições de habitabilidade, ou palco de fenómenos de marginalidade que têm contribuído para a diminuição da segurança da população residente. Lembramos que a sua demolição esteve já prometida pela anterior gestão camarária sem, no entanto, se ter concretizado.
No bairro há espaços de parqueamento encerrados, quer nos edifícios PER, quer no parqueamento subterrâneo existente sob o miradouro - que, em caso de utilização, garantiria a manutenção dos espaços, resolvendo problemas de parqueamento à superfície.
A existência de espaços de loja encerrados nos edifícios PER é um perigo, já que se vêm transformando em espaços de ocupação de actividades ilícitas, com a vandalização desses espaços e agravamento da insegurança.

Construir a escola e o jardim-de-infância, espaço ajardinado e acessibilidades
• Os Vereadores do PCP constataram a necessária construção da Escola 80 e respectivo Jardim-de-Infância, cujo encerramento obrigou à deslocação das crianças para a Escola Querubim Lapa, onde se encontram a funcionar todas as Escolas da Freguesia.
• É desejável a instalação de um espaço ajardinado, no local onde se encontrava anteriormente prevista a construção desta escola.
• É necessário um acesso por escadas aos últimos lotes, frente à Rua do Garcia, proporcionando a passagem da Rua Projectada á Calçada de Quintinha para a Calçada dos Sete Moinhos.
• Finalmente, foi ainda assinalada a inexistência de uma Sala de convívio, de uma Farmácia e de uma Esquadra de Polícia, reivindicações antigas da população.

PCP reclama prazo para as obras
Os Vereadores do PCP solicitaram que o Presidente da CML informasse sobre:
- As medidas que este executivo se propõe tomar no sentido de garantir a satisfação das necessidades prementes da população deste Bairro, aqui expostas;
- Os prazos previstos para a concretização das referidas obras e instalações necessárias, eventualmente já definidos por esta Câmara.
 

Conclusão
Como a Câmara não actua a não ser que seja pressionada pela população, a CDU denuncia esta situação e entende que só a luta pode trazer a solução para estes problemas locais.